Paralisação

Governo Federal garante que não há mais interdição de rodovias por caminhoneiros

Parados nas estradas, os caminhoneiros pediam o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e a destituição de ministros da Corte, além de intervenção militar.

O Balanço divulgado pelo Governo Federal nesta sexta-feira, 10 de agosto, pelo Ministério da Infraestrutura informa que às 12h30 desta sexta-feira toda a malha rodoviária federal estava aberta para o livre fluxo de veículos de carga. O balanço foi feito com base em informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF).Governo, Governo Federal garante que não há mais interdição de rodovias por caminhoneirosGoverno, Governo Federal garante que não há mais interdição de rodovias por caminhoneiros

Veja também:
>>>“Tirem as faixas onde está escrito Bolsonaro. Nós estamos lutando pelo Brasil”, diz Zé Trovão aos caminhoneiros

O ministério, no entanto, alerta que os últimos pontos de concentração de caminhoneiros estão restritos ao Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Rondônia, mas sem bloqueio de pistas. “Ao todo, o número de ocorrências já é 70% menor do que o registrado no mesmo período do dia anterior. Tendência é seguir em queda ao longo do dia”, complementa.

Ontem, a PRF já havia liberado 35 pontos de bloqueio e manifestações nas rodovias do país, feitas por caminhoneiros apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. O movimento teve início um dia depois das manifestações pró-governo ocorridas na terça-feira (7).

Parados nas estradas, os caminhoneiros pediam o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF) e a destituição de ministros da Corte, além de intervenção militar. As manifestações começaram a diminuir após o presidente Bolsonaro enviar um áudio às lideranças dos caminhoneiros, pedindo o desbloqueio das pistas para evitar desabastecimento e aumento dos índices inflacionários.

Declaração à Nação

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou na quinta-feira, 9 de agosto, uma manifestação pública a respeito da crise institucional entre os poderes da República.

Bolsonaro negou a intenção de agredir poderes, mas mantém crítica ao ministro do STF, Alexandre de Moraes. O presidente ainda agradeceu e afirmou querer “registrar e agradecer o extraordinário apoio do povo brasileiro, com quem alinho meus princípios e valores, e conduzo os destinos do nosso Brasil”.

Da redação do Portal de Prefeitura com informações da Agência Brasil. 

Deixe seu comentário

[gs-fb-comments]
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal