Ato

Vídeo: Manifestantes ateiam fogo em caixão na frente da Presidência, em protesto contra o ‘marco temporal’

O julgamento do projeto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) estava marcado para a quinta-feira (26), mas foi adiado para o dia 1º de setembro.

Um grupo de manifestantes indígenas ateou fogo em um caixão gigante que colocaram na frente do Palácio do Planalto, sede da Presidência da República. O protesto foi realizado na manhã desta sexta-feira (27) e tinha como objetivo mostrar oposição ao chamado “marco temporal”.

Com a aprovação da proposta, os indígenas poderão reivindicar apenas as terras que já estavam ocupadas por eles até o momento em que a Constituição de 1988 foi promulgada. O julgamento do projeto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) estava marcado para a quinta-feira (26), mas foi adiado para o dia 1º de setembro.

O presidente Jair Bolsonaro compartilhou no Twitter um vídeo do incêndio e afirmou que “esse tipo de gente quer voltar ao poder com a ajuda daqueles que censuram, prendem e atacam os defensores da CF [Constituição Federal] e da liberdade”. Bolsonaro está em Goiás, onde cumpre agenda em Goiânia.

Ver mais:

>> Com pressão de manifestantes em frente ao prédio, STF inicia julgamento que pode definir demarcações em terras indígenas

>> Indígenas seguem acampados no DF e aguardam decisão do STF sobre demarcação de terras

Ao deixar o Palácio do Planalto, os manifestantes foram protestar em frente à sede do ministério da Justiça e Segurança Pública, onde chegaram a banhar-se no espelho d’água do Palácio da Justiça.

Julgamento

Supremo Tribunal Federal (STF) iniciou na quinta-feira (26) o julgarão da ação que pode analisar o marco temporal para demarcações de terras indígenas. Na sessão desta tarde, somente o resumo do processo foi lido pelo relator, ministro Edson Fachin. O julgamento será retomado na quarta-feira (1), quando 39 entidades devem se manifestar na tribuna da Corte. STF, Com pressão de manifestantes em frente ao prédio, STF inicia julgamento que pode definir demarcações em terras indígenasSTF, Com pressão de manifestantes em frente ao prédio, STF inicia julgamento que pode definir demarcações em terras indígenas

A sessão está sendo acompanhada por cerca de 6 mil indígenas de 170 povos, que estão acampados em Brasília. Desde o último domingo, os indígenas estão no acampamento Luta pela Vida, na Esplanada dos Ministérios, onde recebem visitas de apoiadores da sociedade civil e políticos.

Estão sendo realizados diversos atos contra medidas que possam restringir as regras de demarcações de terras e para pedir o combate violência contra o povos indígenas, como invasões de terras.

Deixe seu comentário

[gs-fb-comments]
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal