Proposta

Após encontro na ACS, presidente da Alepe solicita desconto na compra de armas para profissionais de segurança pública

Eriberto Medeiros visitou a Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados, na última sexta-feira (30/07), e recebeu reivindicações dos Policiais e Bombeiros Militares do Estado.

Após visita a Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados, na última sexta-feira, 30 de julho, o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Eriberto Medeiros (PP), fez uma solicitação ao secretário da Fazenda, Décio Padilha, para que seja feito um apelo no CONFAZ (Conselho Nacional de Política Fazendária) no sentido de dar isenção de ICMS na compra de armas de fogo e equipamentos para profissionais das forças de segurança pública (Polícia Militar, Polícia Civil, Bombeiro Militar, Polícia Penal e Guarda Municipal).

Veja também:
>>>ACS-PE recebe presidente da Assembleia Legislativa e debate sobre temas de interesse da categoria

De acordo com o deputado Eriberto Medeiros, os profissionais da segurança pública necessitam garantir sua proteção pessoal nos dias de folga.

“Os policiais arriscam suas vidas, muitas vezes, combatendo criminosos que podem atentar contra sua própria integridade física ou de sua família. No trabalho eles têm os equipamentos das forças de segurança, mas na folga, eles continuam sendo homens e mulheres da lei e precisam tirar do próprio bolso, para se proteger dos criminosos”, relatou o deputado.

O Presidente da ACS-PE, Albérisson Carlos, ressaltou a importância da iniciativa, que é fruto do dialogo da Associação com as mais diversas instituições públicas, principalmente após encontro na ACS com o presidente da Alepe.

Reconhecemos esse passo tão importante para os profissionais de segurança pública, que precisam adquirir sua própria arma e assim conseguir preservar sua vida e da família fora do trabalho. A Associação tem defendido pautas como a isenção de impostos na compra de armas e equipamentos para estes profissionais”, disse Albérisson Carlos. 

Com essa medida, os operadores de segurança pública, que já são capacitados para utilizar armas de fogo, teriam melhores condições para adquirir esses equipamentos.

“Não é justo que, nos dias de suas jornadas de trabalho estejam equipados para defender a sociedade, mas nos dias de folga estejam desarmados para defender sua própria vida, sua família e porque não dizer a própria sociedade pernambucana”, argumentou Eriberto.

Deixe seu comentário

[gs-fb-comments]
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal