Opinião

Vídeo: Zezé Di Camargo defende voto impresso e convoca apoio a atos pró-Bolsonaro do domingo (1º)

Publicação da deputada Carla Zambelli mostra o cantor sertanejo explicando o que seria o voto auditável.

Em um vídeo, divulgado pela deputada federal Carla Zambelli (PSL), o cantor sertanejo Zezé Di Camargo aparece apoiando o voto impresso nas próximas eleições do próximo ano, uma das principais bandeiras do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

“Apenas uma meia dúzia de pessoas que vão conferir se a máquina realmente computou seu voto como desejava. É muito estranho as pessoas não quererem isso”, diz Zezé Di Camargo em um trecho do vídeo. 

Confira: 

Veja também:
>>>’É hora de ir às ruas e rejeitar voto impresso’, diz ex-ministro de Lula Orlando Silva (PCdoB)

O cantor convida as pessoas para que participem de uma manifestação programada para o próximo domingo, 1º de julho, em favor do voto auditável. 

“Dia 1º de agosto vai ter uma manifestação no Brasil inteiro, para o povo mostrar, principalmente para o Congresso, que o povo quer o voto auditável sim. Eles ficam confundindo a cabeça de vocês, falando que é um retrocesso, que vai voltar lá atrás, não vai voltar nada”, argumentou no vídeo. 

Nas últimas 24 horas, o nome do cantor ficou entre os assuntos mais comentados do Twitter, recebendo elogios e críticas em relação ao conteúdo.

Bolsonaro já sinalizou várias vezes que não aceitará o resultado das urnas caso o processo eleitoral não seja alterado.

Oposição

O vice-líder do PCdoB na Câmara dos Deputados, Orlando Silva (SP), comentou os desmentidos do ministro da Defesa, Braga Neto, e do presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), sobre reportagem do Estadão segundo a qual o general teria exigido a aprovação do voto impresso sob pena de não ser realizada eleição no próximo ano. O jornal paulista reafirmou o conteúdo.

De forma direta, o deputado propôs reforço na mobilização para exigir do presidente da Câmara o impeachment de Bolsonaro e a derrota da proposta de voto impresso na comissão especial.

“Arthur Lira e Braga Netto desmentiram publicamente a ameaça golpista do ministério da Defesa. Ótimo. Para que não restem dúvidas sobre quem decide a eleição, recomendo: 1) Ocuparmos as ruas para exigir o impeachment. #24JForaBolsonaro. 2) Derrotar o voto impresso na comissão”, escreveu no Twitter Orlando Silva.

Antes da negação do golpe, o parlamentar já havia previsto que o primeiro efeito prático da ameaça de quartelada do ministro Braga Netto seria a multiplicação da adesão aos atos do #24JForaBolsonaro.

“Todos e todas que defendem a democracia devem ir às ruas, unindo a frente ampla pelo Brasil. Confio que presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado Federal seguirão altivos na defesa da democracia e do parlamento, que não aceitará cabresto de ninguém. O Legislativo é soberano para decidir suas pautas e assim o fará, independentemente de pressões antidemocráticas”, disse o deputado.

Deixe seu comentário

[gs-fb-comments]
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal