Confiante

Vereador Tostão de Olinda diz aos eleitores que segue no cargo e que vai recorrer até a última estância sobre cassação de mandato

Em entrevista exclusiva ao site de notícias especializado em conteúdo político Portal de Prefeitura, o parlamentar disse que tá tranquilo e confiante que vai dar tudo certo.

O vereador Tostão de Olinda (PMB) falou com exclusividade ao site de notícias especializado em conteúdo político Portal de Prefeitura, sobre a decisão da juíza Flávia Fabiane Nascimento Figueira, que cassou o mandato do parlamentar na Câmara Municipal de Olinda por abuso do poder econômico e político (uso da máquina pública) durante a campanha eleitoral.

Veja também:
>>>Vereador Tostão de Olinda teve mandato cassado pela Justiça

O parlamentar afirmou que continua normalmente com o mandado na Câmara e que vai recorrer sobre a decisão até a última estância. Tostão também fez questão de ressaltar que o processo não se trata de nenhum tipo de corrupção e que em nenhum momento cometeu alguma irregularidade.

“Deus está no controle de tudo. Tenho dúvida nenhuma que vai dar tudo certo. Não compro voto e nem faço nada de errado. Esse negócio de agradecer a “Prefeitura” por um serviço que foi feito, que eu pedi, todos os vereadores fazem do lado do prefeito. Meu problema não foi compra de votos, nada disso, foi apenas a questão de algumas vezes eu aparecer e aí uma pessoa que fazia parte do partido me denunciou”, esclareceu o vereador.

Na sentença, mostra que durante a campanha eleitoral do ano passado, o vereador teria associado seu nome e iniciativas a ações que eram executadas pela Prefeitura de Olinda em bairros da cidade, principalmente Ouro Preto e Jardim Brasil.

De acordo com a juíza Flávia Figueira, durante a campanha eleitoral, o parlamentar “se fez presente na realização de diversos serviços públicos, demonstrando articulações com agentes públicos e ressaltando sua participação e privilégios na concretização das demandas coletivas”.

A magistrada acolheu integralmente a Ação de Investigação Judicial Eleitoral (11257) Nº 0600617-67.2020.6.17.0117, proposta pelo Ministério Público Eleitoral contra o vereador. O vereador tem três dias para recorrer da decisão.

Mais adiante ela ressaltou:

“Por todo o exposto, claro está que a prática do investido é tida por abusiva e grave, capaz de influenciar na vontade dos eleitores, e assim, provocar desequilíbrio no processo eleitoral e comprometer a integridade, lisura e higidez da eleição”.

Além do fato atual, Tostão de Olinda já tem uma condenação anterior por propaganda irregular durante a campanha. Quando questionado se o motivo de ser denunciado novamente à Justiça Eleitoral tratava-se de uma perseguição, ele disse que não sabe e argumentou que tem se dedicado ao mandato na Câmara de Olinda.

“A gente vem fazendo um bom trabalho, eu faço as coisas tudo com amor. Deus vai me mostrar o que é melhor pra mim”, disse.

*Por Rodolfo Costa e colaboração de Luiz Fernandes

Deixe seu comentário

[gs-fb-comments]
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal