Opnião

Juliana Paes questiona ‘silêncio’ da esquerda nas redes sociais após protestos em Cuba e sofre ataques por posicionamento

A atriz global questionou a falta de posicionamento em relação às manifestações no país governado por Partido Comunista.

A atriz Juliana Paes voltou a ficar entre os assuntos mais comentados do Twitter na terça-feira, 13 de julho, após responder a uma publicação da economista Renata Barreto sobre os protestos ocorridos  contra o governo comunista em Cuba.

A global fez uma publicação sarcástica direcionada ao público simpatizante da esquerda.

Juliana questionou a falta de posicionamento em relação às manifestações no território cubano.

Para ela, o ocorrido deveria estar sendo evidenciado, no entanto, muitas personalidades em silêncio sobre o regime ditatorial no país comunista:

“Mas hoje tá um silêncio naquele Twitter… (ou tô delirando?) #cubalibre”, escreveu, acrescentando emojis de risos.

Juliana
Juliana Paes questiona ‘silêncio’ da esquerda nas redes sociais após protestos em Cuba e sofre ataques por posicionamento. Foto: Reprodução/Rede Social

Leia também:
>>> Cubanos saem às ruas para pedir liberdade e gritar “abaixo a ditadura”

Recentemente, conforme registrou o Conexão Política, Juliana Paes foi alvo de ataques nas redes sociais após defender a Dra. Nise Yamaguchi.

A atriz, na ocasião, repudiou a forma como a médica foi tratada durante a audiência no Senado Federal.

“Show de horror e boçalidades na CPI da Covid”, escreveu no stories do Instagram, com uma foto da médica.

“Certa ou errada… Não importa! Intimidação, coação… Fala interrompida… Mulher merece respeito em qualquer ambiente”, acrescentou.

Em reação, militantes de esquerda tentaram ‘cancelar’ a artista. No entanto, ela não se intimidou, e continuou publicando seus posicionamentos pessoais na internet.

A atriz gravou um vídeo para dizer que não era apoiadora do presidente Jair Bolsonaro, logo após ter defendido a médica Nise Yamaguchi, que participou da CPI da Covid-19.

Juliana Paes disse: “Qualquer assunto é politizado. É um maniqueísmo. Eu não sou bolsominion, como adoram acredita. […] Não quero contribuir para essa polarização doentia. Não nesse momento obscuro, onde o ódio reverbera mais. Ou você é isso ou é aquilo. Isso não existe. Somos múltiplos”. Depois da declaração, Juliana recebeu críticas de seguidores anônimos e famosos.

Da redação do Portal com informações do Conexão Política

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal