Cuidados

CPI da Pandemia ignora quarentena de prevenção após senador que integra Comissão testar positivo para Covid-19

O parlamentar, que teve contato com os demais membros da CPI até a última sexta-feira (9), informou que apresentou sintomas da Covid-19 desde a terça-feira (6).

Mesmo com o senador Otto Alencar (PSD-BA), integrante da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga a gestão do Governo Federal diante da pandemia, tendo confirmado positivo para Covid-19, na última sexta-feira, 9 de julho, as atividades presenciais do Comissão foram mantidas, sem a necessidade de quarentena daqueles que participaram das reuniões no Senado e tiveram contato com o parlamentar.

Por meio da assessoria de imprensa, o parlamentar, que participou de forma presencial da última reunião da CPI, divulgou uma nota pública explicando que desde terça-feira, 6 de julho, vinha apresentando sintomas de gripe, com coriza e leve dor de cabeça. Ele fez o exame PCR, que confirmou a doença.

Veja também:
>>>Presidente Bolsonaro: ‘Caguei para a CPI. O que produziu de bem pro Brasil?’

>>>Senadores criticam fala de Bolsonaro ao se referir às perguntas encaminhadas pela CPI da Pandemia

O senador, que tem 73 anos, ressaltou que tomou as duas doses da vacina e não está com falta de ar ou febre. Otto disse que está tendo acompanhamento médico em seu estado, na Bahia.

Leia a nota na íntegra:

“Desde terça feira (6/7), venho com sintomas de gripe, coriza e discreta cefaléia. Hoje o exame PCR testou positivo para covid-19. Por estar vacinado com duas doses não tenho falta de ar ou febre, muito menos a forma grave da doença. Já estou acompanhado, na Bahia, pelo meu médico infectologista. Com fé em Deus, logo estarei de volta ao trabalho. Sempre usei máscaras, álcool gel e não participei de aglomerações. O vírus está comunitário. Todos devem se cuidar muito e manter as medidas de segurança recomendadas pelas autoridades sanitárias”.

A CPI inicia a 11ª semana de funcionamento com o principal foco de investigar possíveis esquemas de corrupção no Ministério da Saúde. Amanhã recebe Emanuele Medrades, representante da Precisa Medicamentos, que assina o contrato da Covaxin.

Veja a agenda da semana:  

Quarta-feira

Amilton Gomes de Paula, reverendo batista que preside a ONG Senah (Secretaria Nacional de Assuntos Humanitários). O reverendo, como intermediário da Davati, teria apresentado Luiz Dominguetti aos representantes do governo federal que trataram da compra de vacinas.

Quinta-feira

Marcelo Blanco, tenente-coronel e ex-assessor do Delog (diretor substituto), citado por Luiz Dominguetti como a pessoa que fez a ponte entre ele e Roberto Ferreira Dias.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal