Opinião

Deputado critica reajuste dos combustíveis e cobra revisão da política de preços da Petrobras

O parlamentar defende ainda que seja discutida a situação do mercado de combustíveis no país para incentivar a livre concorrência e a queda no preço dos produtos.

O reajuste do preço dos combustíveis, anunciado na segunda-feira, 5 de julho, pela Petrobras, foi criticado pelo deputado federal Eduardo da Fonte (PP-PE), que cobrou do Governo Federal (Ofício 54) medidas para reduzir o preço do gás de cozinha e a revisão da política de preços da Petrobras. A companhia usa cotações do mercado internacional para definir o preço interno do produto.

“A Petrobras é praticamente a única empresa de refino no Brasil. Se ela quer manter esse monopólio, precisa assumir compromissos sociais com o povo brasileiro, que é quem financia a empresa. Famílias estão voltando a usar lenha para cozinhar. Esse é o décimo quinto aumento consecutivo do gás. Quem depende da gasolina para trabalhar, também não consegue mais acompanhar os constantes reajustes do combustível. A alta do diesel tem impacto em toda a cadeia produtiva que usa caminhões para fazer o escoamento da produção”, avaliou Eduardo da Fonte.

O parlamentar defende ainda que seja discutida a situação do mercado de combustíveis no país para incentivar a livre concorrência e a queda no preço dos produtos.

Leia mais:
>>> Deputado solicita a Paulo Câmara prorrogação da isenção da tarifa social de esgoto da Compesa

Da redação do Portal com informações da Assessoria de Eduardo da Fonte

Reajuste

Os preços da gasolina, do diesel e do gás de cozinha (GLP) sobiram na terça-feira, 6 de julho, nas refinarias. De acordo com a Petrobras, a gasolina aumenta, em média, R$ 0,16 (6,3%), fazendo com que o litro do combustível saia de R$ 2,53 e chegue a R$ 2,69.cozinha, Começa a valer novo aumento do gás de cozinha, gasolina e diesel após reajuste anunciado pela Petrobrascozinha, Começa a valer novo aumento do gás de cozinha, gasolina e diesel após reajuste anunciado pela Petrobras

O diesel tem médio de R$ 0,10 (3,7%) por litro, e passa a custar R$ 2,81 nas refinarias da Petrobras. O gás de cozinha (GLP) para as distribuidoras sobe R$ 3,60 por quilograma (kg), refletindo um aumento médio de R$ 0,20 por kg.

Segundo a Petrobras, os reajustes acompanham a elevação nos patamares internacionais de preços de petróleo e derivados.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal