Eleições 2022

Grupo de WhatsApp reúne lideranças do centro e da esquerda na busca de união das forças e um nome para derrotar Bolsonaro

De acordo com o colunista Ricardo Noblat do Metrópoles, o grupo chamado "Derrubando Muros", está ativo há mais de três meses.

No grupo de WhatsApp chamado “Derrubando Muros”, por quase duas horas na tarde da última sexta-feira, 2 de julho, foi discutida a conjuntura brasileira e a necessidade de união das forças políticas que queiram derrotar o presidente Jair Bolsonaro nas eleições do ano que vem.

De acordo com o colunista Ricardo Noblat do Metrópoles, o grupo está ativo há mais de três meses. Dele fazem parte o governador João Doria (PSDB-SP), o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, o empresário João Amoedo (Novo) e Roberto Freire, presidente do Cidadania, entre outros.

 
 
Leia também:

Voto impresso nas eleições de 2022

O presidente Jair Bolsonaro intensifica o desejo de voto auditável no Brasil, em recente participação de manifestação promovida por apoiadores na Esplanada dos Ministérios, em Brasília-DF ele falou sobre a aprovação do voto impresso.

Em discurso em cima de um carro de som, o presidente defendeu a aprovação do voto impresso nas eleições de 2022, cuja Proposta de Emenda à Constituição (PEC) teve a comissão especial instalada na Câmara dos Deputados.

Em seu discurso, o mandatário voltou a criticar medidas de restrição social impostas por governadores e prefeitos como justificativa de conter a pandemia de Covid-19.

“O maior poder do Brasil não é o Legislativo, o Judiciário ou o Executivo. O maior poder é de vocês. […] Não desafiamos ninguém nem queremos o confronto com ninguém, mas não ousem confrontar ou roubar a liberdade do nosso povo”, disse Bolsonaro, na ocasião.

Opinião Popular

Uma enquete da Câmara dos Deputados mostra uma quantidade muito grande de pessoas que são favoráveis a implementação do voto impresso nas Eleições 2022.
 
A PEC 135/2019 com a autoria da deputada federal Bia Kicis, que é aliada do presidente Jair Bolsonaro, e de acordo com a ementa: “Acrescenta o § 12 ao art. 14, da Constituição Federal, dispondo que, na votação e apuração de eleições, plebiscitos e referendos, seja obrigatória a expedição de cédulas físicas, conferíveis pelo eleitor, a serem depositadas em urnas indevassáveis, para fins de auditoria”.
 
Na enquete que está disponível no site da Câmara dos Deputados pergunta a opinião do eleitor sobre a PEC 135/2019, que pede que seja obrigatória a expedição de cédulas físicas, para auditoria. Na resposta, cinco opções diferentes para avaliar a opinião eleitor.
 
Até às 14h30 do dia 29 de junho de 2021, foram quase 70 mil votos computados com a maioria absoluta para aqueles que dizem concordar totalmente com a implementação da PEC.
 

 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal