Investigação

Operação da Polícia Federal investiga desvios de mais de R$ 2,5 milhões no Ministério do Trabalho

A PF busca apurar crimes de ocultação de bens e valores obtidos a partir dos lucros decorrentes das fraudes nas restituições de contribuição sindical identificadas.

A Polícia Federal cumpre na manhã desta terça-feira, 22 de junho, quatro mandados de busca e apreensão em mais um desdobramento da Operação Registro Espúrio para apurar crimes de ocultação de bens e valores obtidos a partir dos lucros decorrentes das fraudes nas restituições de contribuição sindical identificadas na operação.

Nesta fase, a investigação apontou para o desvio de mais de R$ 2,5 milhões do Ministério do Trabalho (que foi incorporado ao Ministério da Economia pelo Presidente Jair Bolsonaro), por um único representante sindical, bem como o fato deste ter utilizado a própria companheira para ocultar bens e valores.

O representante sindical, de acordo com apuração da TV Globo, é o presidente da Federação Nacional dos Trabalhadores Celetistas nas Cooperativas do Brasil (Fenatrocop), Mauri Viana.

Os envolvidos responderão pelo crime de lavagem de dinheiro, cuja pena pode chegar a 10 anos de prisão (Lei n. 9.613/1998).

Esta fase da operação faz parte do processo sistemático e contínuo adotado pela Polícia Federal de constrição do patrimônio dos membros das organizações criminosas voltadas ao desvio de recursos públicos, com o principal objetivo ressarcir o erário.

Da redação do Portal com informações da Polícia Federal

Leia mais:
>>> Segunda fase da Operação Chorume prende ex-prefeito por corrupção e encontra R$ 128,9 mil enterrado

Petrobrás

A Polícia Federal cumpriu no dia 18 de junho, três mandados de busca e apreensão contra suspeitos de corrupção e lavagem de dinheiro na antiga Diretoria de Abastecimento da Petrobras. Os mandados da operação Sem Limites VI foram expedidos pela 13ª Vara Federal de Curitiba (PR).

A ação de hoje é um desdobramento da Operação Sem Limites que investigou a prática de crimes envolvendo a negociação de óleos combustíveis entre a estatal e empresas estrangeiras.

Os novos mandados expedidos pela Justiça buscam colher provas sobre corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa por novos suspeitos.

Um deles seria ligado a um ex-gerente da Petrobras, que seria responsável por receber recursos de corrupção no exterior, por meio de contas em nome de empresas registradas em outros países. Segundo a Polícia Federal (PF), esse dinheiro era depois distribuído aos envolvidos no esquema criminoso.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal