Visita

Lula em Pernambuco: Ex-presidente vai cumprir agenda no Estado e confirmar reaproximação com PSB

O roteiro da visita inclui ainda diálogo com outros partidos, políticos e movimentos sociais. 

O ex-presidente Lula (PT) cumprirá agenda em Pernambuco no mês de julho, durante a primeira ou segunda semana do mês. Na visita, Lula pretende se reunir com o PSB, que nesta terça-feira, 22 de junho, oficializou a filiação de Flávio Dino, governador do Maranhão, que deixou o PCdoB, e do deputado federal, Marcelo Freixo, que saiu do PSOL.

Em Pernambuco, o ex-presidente deve se reunir com o governador Paulo Câmara (PSB) e o prefeito do Recife João Campos (PSB). As tratativas do encontro estão sendo encabeçadas pelo senador Humberto Costa (PT-PE). O roteiro envolve ainda diálogo com outros partidos e com personalidades da política local, da Cultura, dos movimentos sociais.

De acordo com informações, a visita de Lula estava prevista para antes, inclusive o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, chegou a ser comunicado pelo deputado federal José Guimarães sobre a vinda do ex-presidente,  “Inicialmente, já era para ter ido(…) Ele adiou um pouco”, afirmou Siqueira.

De acordo com o Senador Humberto Costa, o adiamento da agenda se deu em função da pandemia.

Na capital pernambucana, o PT disputou a Prefeitura do Recife contra o PSB, lançando a deputada federal Marília Arraes (PT), que chegou ao segundo turno contra o primo, João Campos, que derrotou a petista com 56,27% dos votos.

A rachadura entre as siglas durante as eleições não é de hoje, em 2018 Marília Arraes teve seu nome rifado após uma aliança do PT com a Frente Popular, que lançou Humberto Costa como senador. Marília na época era vereadora do Recife, saiu como candidata a deputada federal.

Em abril, uma reunião virtual entre dirigentes e lideranças petistas e socialistas, buscou uma reconstrução dos laços. Na ocasião, Lula acenou positivamente a isso. 

Veja também:
>>>Flávio Dino encaminha pedido de filiação ao PSB e Paulo Câmara diz que chegada fortalece partido e o campo progressista brasileiro

Estratégia

Flávio Dino, governador do Maranhão, deixou o PcdoB em direção PSB, em uma estratégia da esquerda de unir forças para as eleições de 2022. Com o gestor no partido, que é um dos entusiastas da candidatura do ex-presidente Lula, ao ser questionado sobre uma disputa ao Senado disse que “esse é o plano principal. (Mas) outras possibilidades são especuladas”, já que é cotado como um possível nome para vice-presidente na união entre o PT e o PSB.

Em entrevista, o governador Flávio Dino disse que sua filiação e do deputado Marcelo Freixo ajudaria no diálogo com Lula.

“O PSB integrou o campo liderado pelo ex-presidente Lula desde 1989. Quando Lula foi candidato a primeira vez, o vice foi indicado pelo PSB, o então senador Bisol. Essa relação vem de longa data. Houve um distanciamento recente, mas acredito que isso já está superado. A minha presença e a do Freixo ajudam na intensificação desse diálogo, porque o ex-presidente Lula é figura imprescindível para o campo da esquerda no Brasil”.

O governador terá papel central na costura de alianças com partidos de centro e de centro-direita para a candidatura de Lula”, informa a jornalista.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal