Histórico

Omar Aziz: Presidente da CPI da Covid é investigado por desvio de recursos da saúde

Mulher e três irmãos do senador foram presos em operação da PF que investiga a prática de crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 no Senado Federal, Omar Aziz (PSD), além de ser investigado por desvio de recursos para Saúde, já teve sua esposa, que é deputada estadual, e irmãos presos, em 2019, no mesmo caso em operação da Polícia Federal (PF) no estado do Amazonas.

O Ministério Público Federal (MPF) e a PF no Amazonas iniciaram, em 2016, a Operação Maus Caminhos, que se desdobrou nas operações Custo Político, Estado de Emergência, Cashback, Vertex e Eminência Parda, que se estenderam até os dias atuais.

Veja também:
>>>Renan Calheiros: Relator da CPI da Covid responde a pelo menos 11 inquéritos no STF; confira quais 

Na época Aziz já ocupava uma das vagas no Senado Federal e dois anos após renunciar ao governo do Amazonas, investigadores da Maus Caminhos descobriram desvios milionários na saúde estadual. O objeto principal da investigação é o desvio de cerca de R$ 260 milhões de verbas públicas da saúde por meio de contratos milionários firmado com o governo Estadual, na operação Vertex.

No Senado, a Comissão Parlamentar de Inquérito que Omar preside tem como objetivo apurar se houve falhas por parte do Governo Jair Bolsonaro (sem partido) no enfrentamento da pandemia.

Desvios

Na operação Vertex, um desdobramento cita o nome do senador 256 vezes em 257 páginas, no relatório parcial da PF. Omar Aziz é investigado porque, quando ele era governador, parte de contratos suspeitos foram firmados.

Um dos trechos diz que “os indícios da atuação de OMAR AZIZ para a criação e manutenção da organização criminosa formada em torno do Instituto Novos Caminhos são robustos e permeiam toda a investigação”.

Já em outro, destaca-se o trecho em que uma colaboradora dos investigadores aponta que o senador recebia propina.

“XXXX diz que, após o início das atividades da OS, o valor que deveria ser entregue a OMAR AZIZ era de 500 mil reais. Esse valor era entregue toda vez que a OS ia recebendo do Estado do Amazonas e que os valores eram entregues de forma fracionada. XXXX já realizou entrega de parte do valor destinado a OMAR. AZIZ para funcionários do Senador.”

Ao chegar o caso  no Supremo Tribunal Federal,  por se tratar de um Senador, o novo entendimento da corte sobre foro privilegiado fez com que, em junho de 2018, retornassem ao Amazonas. A investigação contra o senador atualmente está na Justiça Federal do Estado.  Ainda não há decisão da Justiça no processo.

Família Aziz

A ex-primeira-dama do Amazonas Nejmi Aziz foi presa na quinta fase da Operação Maus Caminhos, chamada Operação ‘Vertex’ que investiga a prática de crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Nejmi e os irmãos do senador Omar Aziz, Murad, Amin e Manssur tiveram prisão temporária decretada pelo juiz Marllon Souza, da 2ª Vara Criminal da Justiça Federal do Amazonas. A PF também realizou busca e apreensão nas casas do senador em Manaus, no condomínio Ephygênio Salles e no apartamento funcional dele em Brasília.

Durante as investigações da Operação ‘Maus Caminhos’ em 2018, a ex-primeira-dama e o senador Omar Aziz, foram citados por uma delatora na investigação. O senador negou parentesco com o médico Mouhamad Moustafa apontado como líder e principal alvo da primeira fase da operação em novembro de 2016. A Justiça Federal proibiu o senador de sair do país e de se comunicar com outros investigados na operação, com exceção de Nejmi e dos três irmãos.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal