Acusação

Flavio Dino acusa Bolsonaro de atrasar vacina por optar da cloroquina

O governador do Maranhão diz que a CPI já tem elementos para provar que o atraso na compra de vacinas não foi negligência.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), avaliou que a CPI da Covid já tem elementos suficientes para provar que o governo Bolsonaro atrasou a compra de vacina no país não por displicência, mas por optar pelo chamado tratamento precoce com o uso da cloroquina, medicamento sem comprovação científica para o tratamento da Covid-19.  “Há provas múltiplas de que não comprar vacinas obedecia a um planejamento”, disse.

“CPI no Senado tem elementos para concluir que demora na compra de vacinas, que custou milhares de vidas e sofrimentos, não decorreu de negligência. Foi uma ação dolosa derivada da esdrúxula opção pela cloroquina. Resta apurar o motivo e os interesses ensejadores da estranha opção”, escreveu o governador no Twitter.

Ver mais:

>> Flávio Dino aponta possível improbidade administrativa do governo Bolsonaro

>> Governo de Flávio Dino autua presidente Bolsonaro por não usar máscara e gerar aglomeração durante visita

>> Flávio Dino (PCdoB) se reúne com Mourão para discutir ações para a Amazônia

De acordo com Dino, é preciso lembrar que não foi apenas a vacina da Pfizer que foi recusada.

“A vacina do Butantan foi rejeitada até o momento em que ficou pronta e o STF autorizou os Estados a comprarem diretamente. Ou seja, há provas múltiplas de que não comprar vacinas obedecia a um planejamento”, afirmou.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal