Declaração

CPI da Pandemia diz em nota assinada por senadores que anúncio de Bolsonaro sobre vacinas veio com “atraso fatal e doloroso”

A reação é referente ao pronunciamento do Presidente feita na noite da última quarta-feira, 2 de junho, em rede nacional de rádio e televisão.

O comando da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia soltou nota oficial na noite da quarta-feira, 2 de junho, após o pronunciamento do presidente da República, Jair Bolsonaro. Ele afirmou em rede nacional de rádio e televisão que todos os brasileiros que desejarem serão vacinados até o fim do ano contra a covid-19. Para vários integrantes da CPI, o anúncio veio com “atraso fatal e doloroso”.

Veja a íntegra da nota:

Nota Pública

A inflexão do Presidente da República celebrando vacinas contra a Covid-19 vem com um atraso fatal e doloroso. O Brasil esperava esse tom em 24 de março de 2020, quando inaugurou-se o negacionismo minimizando a doença, qualificando-a de ‘gripezinha’. Um atraso de 432 dias e a morte de quase 470 mil brasileiros, desumano e indefensável.

A fala deveria ser materializada na aceitação das vacinas do Butantan e da Pfizer no meio do ano passado, quando o governo deixou de comprar 130 milhões de doses, suficientes para metade da população brasileira. Optou-se por desqualificar vacinas, sabotar a ciência, estimular aglomerações, conspirar contra o isolamento e prescrever medicamentos ineficazes para a Covid-19.

A reação é consequência do trabalho desta CPI e da pressão da sociedade brasileira que ocupou as ruas contra o obscurantismo. Embora sinalize com recuo no negacionismo, esse reposicionamento vem tarde demais. A CPI volta a lamentar a perda de tantas vidas e dores que poderiam ter sido evitadas.

Omar Aziz- Presidente CPI
Randolfe Rodrigues – Vice Presidente CPI
Renan Calheiros – Relator

Em apoio
membros efetivos:

Tasso Jereissati
Otto Alencar
Humberto Costa
Eduardo Braga

Suplentes:

Alessandro Vieira
Rogério Carvalho

Agência Senado

Assista na íntegra o pronunciamento do Presidente Bolsonaro:

Leia mais:
>>> Bolsonaro destaca mais de 100 milhões de vacinas distribuídas, lamenta mortes por Covid e comemora previsão de crescimento de 4% do PIB

Convocação de governadores

A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber concedeu na terça-feira, 1° de junho, prazo de cinco dias para que o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia, senador Omar Aziz (PSD-AM), se manifeste sobre as convocações de governadores para prestar depoimento na comissão. ministra, Ministra Rosa Weber dá prazo de 5 dias para explicações do presidente da CPI sobre convocação de governadoresministra, Ministra Rosa Weber dá prazo de 5 dias para explicações do presidente da CPI sobre convocação de governadores

Após receber a manifestação legal do senador, da Advocacia-Geral da União (AGU) e da Procuradoria-Geral da República, que também terão o mesmo prazo para enviarem suas informações, a ministra vai dar prosseguimento à análise da ação na qual 19 governadores questionam a legalidade de depoimento à comissão.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal