Manifesto

Professor é preso por não retirar de seu carro faixa de ‘Fora Bolsonaro Genocida’; veja vídeo

Segundo o irmão dele, Arquivaldo Bites Leão, o professor prestou depoimento na sede da Polícia Federal em Goiânia e foi liberado.

O professor da rede pública estadual e secretário estadual do Partido dos Trabalhadores (PT) de Goiás Arquidones Bites Leão foi preso por policiais militares, nesta segunda-feira (31), por se recusar a retirar uma faixa do capô do carro com a mensagem “Fora Bolsonaro Genocida”. Um vídeo mostra o momento da prisão.

Segundo o irmão dele, Arquivaldo Bites Leão, o professor prestou depoimento na sede da Polícia Federal em Goiânia e foi liberado. Nas imagens, o policial diz que vai enquadrá-lo na Lei de Segurança Nacional por calúnia contra o presidente Jair Bolsonaro.

O delegado da Polícia Federal que colheu o depoimento do professor não se pronunciou sobre o caso. A reportagem tentou falar com a assessoria de comunicação do órgão, às 21h40, mas as ligações não foram atendidas.

Ver mais:

>> “Resposta genocida de Bolsonaro levou país à catástrofe”, diz Dilma Rousseff

>> Durante aula, professor do Colégio Salesiano de Carpina chama Bolsonaro de “genocida” e “assassino”

>> Deputado denuncia UFRJ por painel de led chamando Bolsonaro de “genocida”

O policial, então, recita o artigo 26 da Lei 7.170, a Lei de Segurança Nacional, de 1983, que prevê como crime “caluniar ou difamar o presidente da República, o do Senado Federal, o da Câmara dos Deputados ou o do Supremo Tribunal Federal, imputando-lhes fato definido como crime ou fato ofensivo à reputação”.

Após recitar o artigo da lei, o policial diz que dará ordem de prisão.

“Vou dar voz de prisão para o senhor. Está duvidando? Vamos ver então”, diz o policial, que, em seguida, prende o professor.

Da redação do Portal com informações do G1 Goiás

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal