Críticas

Senador Otto Alencar, que é médico, dá aula para Pazuello sobre o que é a Covid-19: ‘não sabe de nada’

Durante a fala do parlamentar na CPI da Covid, ele questionou o ex-ministro sobre questões técnicas do coronavírus, afirmando que "[..] No seu lugar, eu não aceitaria".

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello volta, nesta quinta-feira (20), à CPI da Covid. A sessão teve início na manhã da quarta-feira (19), mas devido a agenda do Senado, precisou ser suspensa. Durante fala na quinta, (20), o senador Otto Alencar (PSD-BA), que é médico e titular da comissão, ele questionou Pazuello sobre questões técnicas do coronavírus, as quais o ex-ministro da Saúde não soube responder.

O ex-ministro e general foi o terceiro titular do Ministério da Saúde no Governo Bolsonaro, e deixou a pasta há cerca de dois meses.

A partir disso, o senador Otto afirma: “O senhor não sabe nada da doença. Não poderia ser ministro da Saúde. No seu lugar, eu não aceitaria”.

Ver mais:

>> Eduardo Pazuello nega que o Ministério da Saúde tenha incentivado o uso de cloroquina

>> Ex-ministro Pazuello retoma depoimento na CPI da Covid no Senado, após suspensão de sessão

>> Ex-ministro da Saúde Pazuello passa mal durante CPI da Covid-19 no Senado; depoimento foi suspenso

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello afirmou, nesta quinta-feira, 20 de maio, que a culpa pela falta de oxigênio hospitalar, que provocou o colapso na rede sanitária de Manaus (AM), é tanto da Secretaria de Saúde do Amazonas quanto da empresa White Martins, que fornecia o insumo para a capital amazonense.

Intervenção em Manaus

O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello afirmou, nesta quinta-feira, 20 de maio, que a culpa pela falta de oxigênio hospitalar, que provocou o colapso na rede sanitária de Manaus (AM), é tanto da Secretaria de Saúde do Amazonas quanto da empresa White Martins, que fornecia o insumo para a capital amazonense.

Pazuello informou também que o governo federal chegou a discutir uma intervenção no Amazonas, mas desistiu da ideia após ouvir o governador do estado, Wilson Lima.

“[A decisão de intervir] foi levada ao conselho de ministros, o governador se apresentou, se justificou. Desculpa, quero retirar o termo, não é conselho de ministros, é reunião de ministros, com o presidente. O governador se explicou e foi decidido pela não intervenção”, explicou.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal