Resposta

“Se eu tivesse te dado um soco, Vossa Excelência não teria continuado sentado”, afirma o deputado Diego Garcia

A resposta do parlamentar foi dada após uma confusão aconteceu durante uma reunião da Câmara dos Deputados para debater sobre comercialização de medicamentos com Cannabis.

O deputado bolsonarista Diego Garcia (Podemos-PR) disse nesta terça-feira (18) ao deputado Paulo Teixeira (PT-SP) que “se eu tivesse te dado um soco, Vossa Excelência não teria continuado sentado”.

“Em momento algum da minha parte houve agressão a Vossa Excelência. Em momento algum”, disse Garcia, na comissão especial da Câmara que discute o cultivo de maconha com fins medicinais.

“Se eu tivesse te dado um soco, Vossa Excelência não teria continuado sentado. Então a minha intenção, a minha intenção, não era essa. Eu empurrei o computador e eu coloquei a mão sobre Vossa Excelência para que Vossa Excelência parasse de falar e parasse de atropelar o regimento e de atropelar aquilo que Vossa Excelência mesmo anunciou no início da reunião, quando aprovou o meu requerimento de votação nominal”.

Deputados bolsonaristas apresentaram um requerimento para adiar a discussão sobre o cultivo de maconha, mas, após votação simbólica, Paulo Teixeira, que preside a comissão, declarou que o pedido foi rejeitado. Os bolsonaristas, então, pediram votação nominal, pedido rejeitado por Teixeira.

Foi nesse momento, como mostram imagens da TV Câmara, que Garcia se levantou e aproximou-se de Teixeira, e encostou a mão em seu peito.

Ver mais:

>> Vídeo: Deputado bolsonarista agride deputado petista em sessão sobre Cannabis na Câmara

Entenda o caso:

Uma confusão aconteceu durante uma reunião da Câmara dos Deputados na manhã desta terça-feira (18) para debater sobre comercialização de medicamentos com Cannabis, no uso medicinal da maconha.

O deputado bolsonarista Diego Garcia (Podemos-PR) deu um tapa no peito do deputado Paulo Teixeira (PT-SP).

O petista, presidente da sessão, fez uma votação geral, ou seja, quem concordasse precisava se manifestar. Como não houve manifestações, ele negou o requerimento.

Alguns deputados pediram então um votação nominal, em que cada congressista precisa incluir seu voto no sistema da Casa. Teixeira negou a votação nominal. Neste momento, os deputados começaram a bater boca.

Depois de poucos minutos, Garcia levantou de seu lugar no plenário, foi até a mesa de Teixeira, empurrou seu computador e deu um tapa em seu peito e o empurrou.

Da redação do Portal com informações do O antagonista 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal