Agora

Ao vivo: Ex-ministro Pazuello começa a prestar depoimento na CPI da Covid no Senado

Em sua fala inicial, o ex-ministro disse que está agradecido à CPI pela oportunidade de "esclarece a verdade" sobre a pandemia. Ele também prestou solidariedade às vítimas da Covid.

Na manhã desta quarta-feira, 19 de maio, o ex-minsitro da Saúde, Eduardo Pazuello, começou a prestar depoimento na CPI da Covid-19 no Senado. Os esclarecimentos, de acordo com informações, começaram a ser feitos Às 9h20 da manhã. As falas estão sendo transmitidas ao vivo pela internet.

Acompanhe ao vivo: 

Pazuello foi à CPI amparado por um habeas corpus concedido pelo ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), que o permite ficar em silêncio sempre que entender que as perguntas possam levá-lo à autoincriminação.

Em sua fala inicial, o ex-ministro disse que está agradecido à CPI pela oportunidade de “esclarece a verdade” sobre a pandemia. Ele também prestou solidariedade às vítimas da Covid.

Leia também:
>>>Ex-ministro Pazuello é aconselhado a prestar depoimento fardado na CPI da Pandemia

Pazuello afirmou que foi à CPI como um “homem comum”. General da ativa, ele fez um resumo de sua carreira no Exército.

“Quem está aqui sentado hoje é um homem comum, um filho que perdeu a sua mãe muito cedo e seu pai há pouco tempo (…) Um cidadão brasileiro, mas que por opção jurou defender o seu país independentemente dos riscos inerentes às missões recebidas”, afirmou Pazuello.

O ex-ministro também apresentou um balanço das ações do governo ao longo da pandemia. Pazuello repetiu um argumento do Palácio do Planalto, de que decisão do STF deu aos governadores poder de tomar decisões sobre medidas contra o coronavírus. A decisão do STF, no entanto, ao contrário do que alegam governistas, não exime a União de responsabilidade.

“A União disponibiliza recursos para que estados e munícipios executem as ações de saúde. Aos estados e municípios cabem, por intermédio das secretarias de saúde, de forma plena, executar as ações em saúde. As decisões do STF limitaram ainda mais essas ações. Assim não há possibilidade de o Ministério da Saúde interferir nas ações nos estados de saúde”, argumentou Pazuello.

Ele também citou repasses de verbas federais para os estados.

Temas do depoimento

Pazuello deverá ser inquirido principalmente sobre seguintes temas:

  • Crise do sistema de saúde do Amazonas e falta de oxigênio
  • Demora na compra de vacinas
  • Estímulo governamental ao uso de cloroquina

Fonte G1

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal