Intimadação

CPI da Pandemia pede que Polícia Federal apure ameaças recebidas por senadores

A solicitação de encaminhamento do conteúdo – que tem chegado aos senadores via WhatsApp ou redes sociais – para providências foi feita nesta terça-feira, 18 de maio, pelo vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues ( Rede-AP).

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia do Senado vai encaminhar à Polícia Federal (PF) cópias de ameaças e xingamentos feitos nas últimas semanas a parlamentares que integram o colegiado.

A solicitação de encaminhamento do conteúdo – que tem chegado aos senadores via WhatsApp ou redes sociais – para providências foi feita nesta terça-feira, 18 de maio, pelo vice-presidente da CPI, senador Randolfe Rodrigues ( Rede-AP).

“Presidente [Omar Aziz], acabamos de oficializar a Vossa Excelência que alguns colegas desta Comissão Parlamentar de Inquérito – eu creio que não devam ser todos – têm recebido nas suas comunicações pessoais, têm recebido no seu WhatsApp, e de diversas formas, diferentes tipos de ameaças, o que me parece ser claramente uma ação coordenada”, afirmou o senador.

Ao acatar o pedido, o presidente do colegiado, Omar Aziz (PSD-AM), disse que as ameaças têm sido frequentes.

“Isso daí está virando uma rotina, mas o papel nosso é continuar trabalhando aqui”, avaliou Aziz.

Hoje a comissão está ouvindo o ex-ministro das Relações Exteriores Ernesto Araújo. Os requerimentos de convocação foram apresentados pelos senadores Marcos do Val (Podemos-ES) e Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que querem explicações sobre a condução da diplomacia brasileira durante a crise sanitária provocada pela covid-19.

Agência Brasil

Leia mais:
>>> Ao vivo: ex-ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo depõe na CPI da Covid

FBC sobre CPI da Pandemia

Um dos defensores mais atuantes do governo na CPI da Pandemia, o senador Fernando Bezerra Coelho, espera que o colegiado se mantenha técnico, imune à disputa política. Ele criticou o relator da CPI, Renan Calheiros (MDB-AL) por ter uma atitude “arbitrária” e “excessiva” na condução das oitivas. E disse que, além de busca falhas do governo federal, é preciso investigar possíveis equívocos e malfeitos de governadores e prefeitos.

“A missão da oposição é uma missão quase impossível. O que eles querem é criminalizar as ações de governo. Mais: querem criminalizar as ações do presidente. Vai ser difícil, por tudo que o presidente da República fez no sentido de enfrentar a pandemia”, disse o líder do governo no Senado. 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal