Atuação

Andreza Romero solicita que Prefeitura do Recife disponibilize comedouros e bebedouros para animais de rua

De acordo com o texto de autoria da parlamentar, a manutenção de ração e água ficaria por conta de entidades privadas parceiras do governo municipal. 

O Legislativo da capital aprovou um requerimento que pede a instalação de comedouros e bebedouros para animais em situação de abandono, que circulem pelas ruas, parques e praças da cidade. O texto, de autoria da vereadora Andreza Romero (PP), sugere que a Prefeitura do Recife firme parcerias com entidades privadas para que elas adotem e cuidem dos equipamentos, respeitando os prazos e formas de armazenamento das rações e da água.

“Muitos animais aqui em Recife não têm um lar e dependem da boa vontade das pessoas para ter acesso ao básico, uma vida digna, com água e comida. Essa é uma proposta que tem foco, é claro, nesse momento de pandemia, mas a preocupação com os animais que vivem nas ruas é de muito tempo. As pessoas fazem porque se preocupam, porque não sabem ignorar a dor desses animais, mas a obrigação de cuidar e agir para minimizar o sofrimento deles é do governo municipal”, a vereadora pontuou.

O modelo proposto pelo requerimento é utilizado em diversas cidades, quase sempre feito por voluntários. Os equipamentos são feitos com tubos de PVC, adaptados e convertidos em recipientes de água e comida. A proposta, no entanto, destaca que eles não poderão ser instalados em locais que interfiram na mobilidade de pedestres, bicicletas ou veículos.

“É uma proposta de engajamento entre o poder público, protetores e a comunidade, a fim de promover qualidade de vida para os animais”, concluiu.

Cobrança

O fim do prazo coincidiu com o início da 18ª legislatura da Câmara Municipal do Recife, que trouxe Andreza Romero (PP), defensora dos direitos dos animais, para posição de principal voz em defesa da implementação da lei. Há 8 anos, a palavra de ordem ecoava pelas ruas do Recife, em protestos promovidos por carroceiros contra a Lei Municipal nº 17.198, mais conhecida como Lei da Tração Animal, regulamentada em 2019, determinando redução gradativa das carroças em um prazo de dois anos.

Com um atraso de seis anos e, após determinação judicial, o Decreto 32.121/2019 proíbe o tráfego de veículos com tração animal imediatamente nas grandes avenidas do Recife, sem restrição de horário, e estabelece a realocação dos carroceiros em outras atividades. No entanto, a Prefeitura do Recife anunciou que pode adiar a implementação da lei.

Da redação do Portal com informações da assessoria da vereadora Andreza Romero

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal