Convite

Deputado do PSB diz que Flávio Dino foi convidado para se filiar ao partido e concorrer ao Senado no Maranhão

A informação foi dada, durante uma entrevista ao Fórum Café na manhã desta segunda-feira (26).

O deputado federal Bira do Pindaré (PSB-MA) afirmou que o PSB fez um convite ao governador Flávio Dino (PCdoB), do Maranhão, para se filiar ao partido e sair candidato ao Senado em 2022. A informação foi dada, durante uma entrevista ao Fórum Café na manhã desta segunda-feira (26).

“Nós queremos que ele venha para o PSB, que ele seja candidato a senador pelo PSB, porque ele está encerrando o segundo mandato como governador do Maranhão. E que ele seja essa liderança que vai nos ajudar a fortalecer o campo progressista e uma figura central dentro dessa perspectiva de um novo cenário do Brasil”, disse Bira, referindo-se à candidatura e possível vitória de Lula na disputa à Presidência.

Ver mais:

>> Flávio Dino confirma ida à Justiça contra cancelamento do Censo em 2021

>> Flávio Dino: “Bolsonaro é forte candidato a ser 1º presidente a não se reeleger”

>> Governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), cria Auxílio-Combustível de até R$ 300,00 para trabalhadores

Segundo Bira, é muito “animador” a perspectiva que se abre com a retomada dos direitos políticos por Lula.

“A gente precisava de uma alternativa competitiva e hoje nós temos. É claro que temos que conversar e decidir. O PSB não tem uma posição oficial tomada, mas a discussão já está colocada e isso já é um sinal muito positivo, de que virou o cenário por Lula estar presente neste debate”, disse.

Filiação 

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), disse que o estado irá à Justiça contra a decisão do governo federal de não realizar o Censo Demográfico de 2021.

Segundo Dino, a Constituição Federal determina que compete ao governo federal “organizar e manter os serviços oficiais de estatística, geografia, geologia e cartografia de âmbito nacional.”

O Congresso Nacional cortou em mais de 90% a verba de R$ 2 bilhões prevista para o censo este ano e, ao sancionar o Orçamento, Jair Bolsonaro encolheu ainda mais os recursos, de R$ 71 milhões para R$ 53 milhões.

“Quando o dever não é cumprido o que fazer? Até isso os estados terão que fazer? Ou vamos ao Judiciário?”, questionou Flávio Dino em suas redes sociais.

 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal