Valorização

Prefeito de Belo Jardim, Gilvandro Estrela, visita equipe de Equoterapia e se encanta com profissionais

Especialistas dessa área trabalham com a evolução e a qualidade de vida para crianças atípicas. São fonoaudiólogas, psicóloga, educador físico e fisioterapeuta atendendo com muito amor e dedicação crianças com autismo, síndrome de Down ou algum transtorno de desenvolvimento.

O prefeito de Belo Jardim, Gilvandro Estrela, esteve reunido com a equipe da Equoterapia, que faz um trabalho envolvendo profissionais que trabalham com a evolução e a qualidade de vida para crianças atípicas.

São fonoaudiólogas, psicóloga, educador físico e fisioterapeuta atendendo com muito amor e dedicação crianças com autismo, síndrome de Down ou algum transtorno de desenvolvimento.

Em publicação em rede social, o gestor diz que ficou encantado com o trabalho realizado pelos profissionais.

Fiquei encantado com o trabalho e foi dado o pontapé para, se Deus quiser, novas ações em prol das nossas crianças.

Leia mais:
>>> Prefeito de Belo Jardim, Gilvandro Estrela fala sobre descoberta de tumor

Segunda Dose

A Secretaria de Saúde de Belo Jardim, por meio da Programa Nacional de Imunização – PNI, orienta as pessoas que já tomaram a primeira dose da vacina contra a Covid-19 a ficarem atentas a data da segunda dose do imunizante, que vai de acordo com a imunização anterior e não com o cronograma da secretaria. Portanto, os idosos a partir de 62 anos e os profissionais de saúde da rede particular que tomaram a primeira dose, devem observar a data da segunda dose no cartão de vacina.

É importante esclarecer que, quem não completa o esquema vacinal, está mais sujeito à infecção, em comparação com pessoas que recebem as duas doses. Até por isso, esse indivíduo não contribui tanto para o controle da circulação do novo coronavírus. Esse é um problema ainda maior em um cenário onde a maioria das pessoas segue sem acesso aos imunizantes.

Como se não bastasse, a aplicação parcial pode favorecer versões mais resistentes do coronavírus.

“A lógica é a seguinte: uma suposta variante mais potente do vírus poderia não resistir em um corpo que recebeu duas doses, mas se proliferar em outro que só tomou uma. Se o abandono vacinal for considerável na população, ela poderia tomar conta do cenário e causar estragos extras”, explica a coordenadora do PNI, Flávia Santos.

Até o momento, Belo Jardim recebeu 14.933 doses e já foram aplicadas 12.161 imunizantes. Sendo, 9.171 de primeira dose e 2.990 de segunda.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal