Operação

PF prende oficial da reserva da PM envolvido em furto de envelopes de caixas eletrônicos

A ação foi realizada em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), em Igarassu, no Grande Recife, e no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul da capital.

Em uma ação integrada da Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Polícia Civil de Pernambuco (PCPE), diversos equipamentos utilizados para retirar os envelopes de caixas eletrônicos foram apreendidos no último sábado, 17 de abril, na BR 101, em Igarassu, no Grande Recife, e no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul da capital.

Cinco homens e uma mulher suspeitos de integrarem uma quadrilha que praticava furtos a envelopes de caixa eletrônico foram detidos.

Entre eles, está um oficial da reserva da Policia Militar de Pernambuco, o major Marcos Vinícius Barros dos Santos, que é suspeito de envolvimento no roubo a 61 armas de batalhões da Polícia Militar, no ano de 2009, no Sertão de Pernambuco.

Todos foram encaminhados junto com o material apreendido à Delegacia de Polícia Federal no Bairro do Recife, na área central da cidade.

Equipes da PRF e da Polícia Civil acionadas pela PF realizaram uma fiscalização no Km 29 da BR 101, quando abordaram um utilitário ocupado por dois homens e uma mulher. Dentro do veículo, foram encontrados dispositivos utilizados para retirar envelopes e os policiais descobriram que outra parte do grupo estava em um hotel em Boa Viagem.

Leia mais:
>>> Operação da PF mira em candidato a prefeito de Igarassu nas eleições de 2020 e um Policial Federal

A PF enviou uma equipe para verificar se havia mais membros do grupo hospedados no local Após uma verificação, outros três homens foram detidos e mais material para retirar envelopes foi apreendido no hotel.

Na ação também foram apreendidos R$ 7.200 reais, 4 aparelhos celulares e dois automóveis. Todos os presos foram autuados pela prática dos crimes contido no artigo 2º da lei 12.850/2013 por promover, constituir, financiar ou integrar, pessoalmente ou por interposta pessoa, organização criminosa – cujas penas variam de 3 (três) a 8 (oito) anos de reclusão e multa.

Nota da PM

A Polícia Militar informa que no caso do oficial da Reserva, preso em operação da Polícia Federal, o suspeito será submetido à Justiça Comum  e seguirá os procedimentos previstos pela Lei 11.817/2000, que institui o Código dos Militares Estaduais, em Pernambuco.

Quando devidamente comprovada conduta inaceitável, respeitando o amplo direito à defesa e ao contraditório, ele responderá a um procedimento administrativo chamado  Conselho de Justificação. Se condenado nessa instância, é emitido parecer opinativo ao Corregedor Geral da SDS sugerindo a pena capital, em que perde a graduação e os vencimentos militares, com base na Lei Federal 5.836, de 5 de dezembro de 1972.

Da redação do Portal com informações da Assessoria da Polícia Federal

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal