União

População impede que guardas municipais apreendam mercadoria de ambulante

Vendedor resistiu à abordagem dos servidores para que não levassem a sua mercadoria de coco.

No Rio de Janeiro, uma ação de guardas municipais de apreender o material de trabalho de um trabalhador ambulante foi impedida pela população que não concordava com a situação. Na ocasião, o vendedor resistiu à abordagem dos servidores para que não levassem a sua mercadoria de coco.

Veja o vídeo:

De acordo com o site Pleno News, no vídeo, é possível ver que os guardas tentam argumentar com o camelô, afirmando que aquele local não era o endereço de trabalho registrado na prefeitura. Desesperado, o vendedor se recusa a sair do local e diz que precisa trabalhar, e que tem esse direito.

A cena revoltou população, que se reuniu e “recuperou” o carrinho de cocos que estava sendo levado para a carroceria do carro da guarda municipal, impedindo que o meio de trabalho do vendedor fosse apreendido.

A confusão acabou com a chegada a Polícia Militar, que faz com que o vendedor de coco e a Guarda Municipal se afastem.

Olinda

Um vídeo circula nas redes sociais e registra a forma violenta de servidores da Secretaria de Meio Ambiente e Planejamento Urbano acompanhados de agentes da Guarda Municipal, ao realizar uma vistoria em ambulantes, aparentemente no bairro de Peixinhos, o local não foi confirmado.

Fato ocorreu na última terça-feira, 16 de março, e mostra uma confusão envolvendo as autoridades municipais e ambulantes que em determinado momento se exaltam com até disparo de arma de fogo.

Mercadorias e carroças foram apreendidas após apelos insistentes dos ambulantes que comercializam no local. Todo o movimento foi gravado em vídeo por um morador.

O Portal solicitou nota da Prefeitura de Olinda que se posicionou sobre o ocorrido dizendo repudiar toda e qualquer ação de violência por parte do serviço público na cidade.

Confira a nota da gestão na íntegra:

A Secretaria de Meio Ambiente e Planejamento Urbano de Olinda tomou conhecimento do fato, ocorrido na última terça-feira (16.03) e adotou, imediatamente, abertura de um processo administrativo, com pedido de exoneração do servidor responsável pelo ato de indisciplina.

A secretaria reforça ainda que repudia toda e qualquer ação de violência na condução ou prestação do serviço público na cidade.

Após a conclusão do processo administrativo, a Prefeitura vai encaminhar o caso à Polícia Civil do Estado para que seja instaurado um inquérito policial.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal