Opinião

Covid-19: “O que mais causa fatalidade é o tratamento tardio”, diz doutor em imunologia Roberto Zeballos

O médico também defendeu o tratamento precoce contra a doença causada pelo novo coronavírus.

Em entrevista ao programa Opinião no Ar, exibido nesta sexta-feira, 16, pela RedeTV!, o doutor em imunologia e clínico geral Roberto Zeballos afirmou que o lockdown não tem grande efeito no combate à covid-19 e, além disso, “só serviu para acelerar a miséria”.

Silvio Navarro, editor-executivo de Oeste, e Rodrigo Constantino, colunista da revista, participaram da entrevista. O programa é apresentado por Luís Ernesto Lacombe e também conta com a participação da jornalista Amanda Klein.

“O que mais causa fatalidade é o tratamento tardio”, afirmou Zeballos. “De 747 casos que eu e minha equipe atendemos, aqueles que começam tratando desde o começo, com vigilância, eu tive que internar alguns, muito poucos. Aqueles que não fazem o tratamento acabam internando demais.”

Ver mais: 

>> Médicos de 3 planos receitam tratamento precoce antes mesmo de exame de covid

Segundo o doutor em imunologia, o lockdown não resolve.

“Outra coisa que ficou muito clara é que o confinamento não funciona”, disse. “O propósito do lockdown era para a gente organizar o sistema de saúde para ter leitos e evitar o colapso. […] Essa medida não tem efeito. Infelizmente, apesar da melhor das intenções, essa medida só serviu para acelerar a miséria”, completou.

Zeballos atribuiu a segunda onda da covid-19 no Brasil à participação das pessoas, especialmente os mais jovens, em festas e aglomerações em ambientes fechados.

“O que causou um segundo boom foram as pessoas que estavam escondidas e voltaram nas festas. Houve uma pequena onda em novembro e dezembro. O que atrapalhou foi essa cepa P1. Foi um pouco atípico do que se observa na natureza. Ocorreram 15 mutações adaptativas [do vírus] em nove meses”, relatou.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal