Cargos

Três gestores pernambucanos irão compor diretoria da Frente Nacional de Prefeitos

O prefeito de Aracajú-SE, Edvaldo Nogueira assumiu nesta quinta-feira (15), a presidência da Frente Nacional de Prefeitos (FNP).

Liderando chapa única, Edvaldo Nogueira, prefeito de Aracaju/SE, assumiu nesta quinta-feira, 15, a presidência da Frente Nacional de Prefeitos (FNP) pelos próximos dois anos (2021 a 2023).

Três gestores pernambucanos irão compor diretoria da Frente Nacional de Prefeitos, o prefeito do Recife, João Paulo (PSB) assume a vice-presidência de Mudanças Climáticas, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (MDB) assume a secretaria geral e a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra (PSDB) assume a vice-presidência nacional do G100.

Além de Edvaldo Nogueira, fazem parte da diretoria os seguintes prefeitos:

  • 1º vice-presidente nacional – Bruno Covas (PSDB), São Paulo (SP)
  • 2º vice-presidente nacional – Eduardo Paes (DEM), Rio de Janeiro (RJ)
  • Secretaria geral – Miguel Coelho (MDB), Petrolina (PE)
  • 1º secretaria nacional – Cícero Lucena (PP), João Pessoa (PB)
  • 2º secretaria nacional – Ulisses Maia (PSD), Maringá (PR)
  • Vice-presidente de Relações Institucionais – Cinthia Ribeiro (PSDB), Palmas (TO)
  • Vice-presidente de PPPs e concessões – Bruno Reis (DEM), Salvador (BA)
  • Vice-presidente de Relações com o Congresso Nacional – Duarte Nogueira (PSDB), Ribeirão Preto (SP)
  • Vice-presidente de Cidades Inteligentes – Rafael Greca (DEM), Curitiba (PR)
  • Vice-presidente de Relações Internacionais – Jairo Jorge (PSD), Canoas (RS)
  • Vice-presidente da Saúde – Dario Saadi (Republicanos), Campinas (SP)
  • Vice-presidente de Educação – Sarto Nogueira (PDT), Fortaleza (CE)
  • Vice-presidente de Empreendedorismo – Rogério Lins (Podemos), Osasco (SP)
  • Vice-presidente de Direitos Humanos – Margarida Salomão (PT), Juiz de Fora (MG)
  • Vice-presidente de Mobilidade Urbana – Felício Ramuth (PSDB), São José dos Campos (SP)
  • Vice-presidente de Mudanças Climáticas – João Campo(PSB), Recife (PE)
  • Vice-presidente de Relações com o Judiciário – Hildon Chaves (PSDB), Porto Velho (RO)
  • Vice-presidente de Finanças Públicas – Paulo Serra (PSDB), Santo André (SP)
  • Vice-presidência de Relacionamentos com Estados – Ibaneis Rocha (MDB), Brasília (DF)
  • Vice-presidente nacional do G100 – Raquel Lyra (PSDB), Caruaru (PE)

 

As vice-presidências temáticas e regionais, que também integram o quadro diretivo da entidade, terão eleição e posse no dia 20 de maio.

A nova gestão assume no momento em que o Brasil ocupa o posto de epicentro da pandemia da COVID-19. O assunto foi bastante discutido ao longo da cerimônia, que integrou a programação da 79ª Reunião Geral.

Na ocasião, o diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, e a diretora-geral assistente para Acesso a Medicamentos e Produtos Farmacêuticos da OMS, Mariângela Simão, reforçaram medidas de distanciamento e uso de máscara como indispensáveis para o fim da pandemia.

“São nessas circunstâncias que estamos tomando posse, o enfrentamento à pandemia. Precisamos nos unir cada vez mais para que possamos dar respostas e vencermos o mais rapidamente essa doença”, afirmou o novo presidente.

Edvaldo sucede o ex-prefeito de Campinas/SP, Jonas Donizette, afirmando que ser prefeito é o melhor cargo político, porque é a “função que realiza”. “Tenho fé no municipalismo. Acredito na política e na gestão das cidades como instrumento para construção do futuro”, declarou o novo presidente.

Em vídeo enviado especialmente à FNP, o diretor-geral da OMS lembrou que “o mundo inteiro tem visto o sofrimento do Brasil”.

“A OMS e seus parceiros estão trabalhando dia e noite para encontrar meios para mais rapidamente possível aumentar a produção e a distribuição mais equitativa de vacinas. Estamos prontos para apoiar o instituto Butantan e a Fio Cruz para aumentar seu suprimento de vacinas seguras, efetivas, de qualidade e produzidas localmente”, falou. Veja o vídeo na íntegra.

A diretora-geral assistente para Acesso a Medicamentos e Produtos Farmacêuticos da OMS, Dra. Mariângela Simão, participou da solenidade e destacou que medidas necessárias para cortar a transmissão do vírus estão relacionadas à saúde pública em geral, “e nisso as prefeituras tem uma função importante”.

“A pandemia vai acabar, mas não acabou ainda. Tem uma luz no final do túnel, mas é preciso tomar medidas certas agora e usar a vacina de forma inteligente, não ficar com a falsa segurança de que vai resolver. O uso de máscaras, higienização de mãos e evitar aglomerações vão persistir no mundo ainda por bastante tempo”, alertou.

A representante da OMS também falou que investir em “kits de prevenção é jogar dinheiro fora”, já que existe “evidência farta de que nenhum desses medicamentos têm influência, seja na prevenção ou na diminuição da gravidade da doença”.

“Ter uma palavra como essa, baseada em estudos técnicos e científicos, ajuda muito aos prefeitos na posição de conduzir seus programas municipais”, comentou Jonas Donizette.

Para o prefeito de São Paulo/SP, Bruno Covas, que assume a 1ª vice-presidência da FNP, para além da pandemia, outras questões também estão colocadas, como a reforma tributária, que precisam ser dialogados com o Congresso Nacional. “Temos tantos outros temas para que a gente possa reforçar e dar condições para que prefeitos possam atender bem sua população”, disse.

“A pandemia trouxe uma forma muito diferente de pensar as cidades. É justamente nos municípios onde as coisas acontecem”, afirmou a prefeita de Palmas/TO, Cinthia Ribeiro, eleita vice-presidente de Relações Institucionais.

O presidente do Sebrae, Carlos Melles, também participou da Reunião e reforçou que os convênios com a FNP vão continuar nesta nova gestão.

Consórcio Conectar
Legado deixado pelo presidente Jonas Donizette, o Consórcio Nacional de Vacinas das Cidades Brasileiras (Conectar) foi bastante citado ao longo da cerimônia. Instituído sob a liderança da FNP no tempo recorde de um mês, o Consórcio foi definido por Gean Loureiro, prefeito de Florianópolis/SC e presidente Conectar, como “um dos maiores atos da história do municipalismo”. O governante reiterou que a iniciativa irá se perpetuar no pós-pandemia, como “a maior estrutura de consórcio público do nosso país”.

Segundo Jonas Donizette, a FNP criou o Conectar numa tentativa de dar uma resposta.

“Uma resposta política, porque nós somos políticos também. A gente precisa ter posição em um momento como esse. A obrigação do prefeito é vacinar quando a vacina chega, mas se a vacina não chegou, a gente tem que se posicionar”, declarou o ex-presidente da FNP.

Ver mais:

>> Marcelo Queiroga reforça apoio aos municípios em encontro com a Frente Nacional de Prefeitos

“A gente deu uma prova muito robusta, com a criação do Conectar. Em pouco tempo a gente criou o maior consórcio municipal do mundo para resolver problemas que a pandemia está imprimindo na sociedade”, destacou o prefeito de Petrolina/PE, Miguel Coelho, novo secretário-geral da Frente Nacional.

À tarde, representantes da diretoria do Conectar vão se reunir com o secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, na sede da pasta. O encontro servirá para alinhar a forma de aquisição e distribuição de vacinas à luz da Lei nº. 14.124/2021 e do Plano Nacional de Imunização (PNI).

80ª Reunião Geral da FNP
Em razão da pandemia, que exige reuniões virtuais e cerimônias mais curtas, eleição e posse de prefeitos para as vice-presidências temáticas e regionais acontecerá no dia 20 de maio.

Da redação do Portal com informações da Frente Nacional de Prefeitos 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal