Descoberta

Hacker preso em operação da Polícia Federal tem cargo comissionado na Prefeitura de Petrolina

Yuri Batista Novaes Goiana Ferraz, é suspeito por vazar dados de 223 milhões de brasileiros. Ele estava lotado como gestor de Modernização Administrativa.

Um hacker preso pela Polícia Federal durante a Operação Deepwater, deflagrada por ordem do ministro Alexandre de Moraes, em Pernambuco e Minas Gerais, nesta sexta-feira, 19 de março, por suspeita de participação no vazamento de dados de mais de 220 milhões de brasileiros, é funcionário comissionado da Prefeitura de Petrolina (PE), comanda por Miguel Coelho (MDB).

Yuri Batista Novaes Goiana Ferraz, suspeito de concentrar e vender dados vazados, ocupa cargo de gestor de Modernização Administrativa da Secretaria da Fazenda e Planejamento de Petrolina. 

 A cidade é comandada pelo prefeito Miguel Coelho, um dos filhos do líder do governo Bolsonaro, no Senado, Fernando Bezerra Coelho. Miguel Coelho é um nome sempre lembrado pela oposição para disputa do Governo de Pernambuco nas eleições de 2022.

Leia também:
>>> PF faz buscas em Petrolina em operação contra vazamento de dados de 223 milhões de brasileiros

O jovem gestor do sertão pernambucano ganhou ainda mais força no cenário político pernambucano após reeleição com mais de 76% dos votos ainda no primeiro turno. 

Remuneração de hacker que possui cargo comissionado na prefeitura de Petrolina e preso em operação da PF.
Remuneração de hacker que possui cargo comissionado na prefeitura de Petrolina e preso em operação da PF. Imagem: Reprodução/Portal da Transparência de Petrolina
 
Ele foi preso durante as buscas realizadas pela PF por portar uma arma sem registro. No fim da tarde da sexta, o ministro Alexandre de Moraes, do STF, decretou sua prisão preventiva a pedido dos investigadores.
 
Em nota, a Prefeitura de Petrolina informou que “tendo em vista os desdobramentos” da ação da PF, Yuri Ferraz será exonerado.
 

Leia a nota enviada na íntegra  pela Prefeitura de Petrolina.

A Prefeitura de Petrolina informa que, tendo em vista os desdobramentos da operação da Polícia Federal ocorrida nesta sexta-feira (19), o servidor Yuri Ferraz será imediatamente exonerado. A prefeitura esclarece ainda que não tem qualquer relação com a vida particular do mesmo.

A ação da PF foi batizada de Operação Deepwater e também prendeu outro suspeito, conhecido como VandaThegod, em Uberlândia (MG).

Marcos Roberto Correia da Silva, nome de VandaThegod, foi preso porque já era investigado em outros casos de roubo de dados, como no acesso a informações do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal