Colapso

Escassez de leitos é iminente em Petrolina, alerta prefeito

Até a terça-feira (2), a ocupação de leitos de UTI na cidade estava em 70%, de acordo com o gestor.

A cidade de Petrolina, no Sertão pernambucano, registrou uma ocupação de 95,45% dos leitos das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) na quarta-feira (3). Do total de 44 leitos de UTI da cidade, apenas dois estão disponíveis.

Em pronunciamento, o prefeito da cidade, Miguel Coelho (MDB), fez um apelo para que a população ajude o poder público, mantendo as restrições sociais.

Ver mais: 

>> Prefeitura de Petrolina finaliza mapeamento de população transexual, travesti e transgênero 

>> MPPE recomenda que Prefeitura de Petrolina adote transparência no Plano de vacinação

>> Câmara dos vereadores de Petrolina têm contas rejeitadas pelo TCE-PE

Até a terça-feira (2), a ocupação de leitos de UTI na cidade estava em 70%, de acordo com o prefeito.

“Desde o começo da pandemia, a gente nunca chegou num momento tão sensível e crítico como esse. Vai faltar leito”, comentou Miguel Coelho.

No anúncio da situação vivenciada, o prefeito pediu para que a população ajude com as restrição social.

“Eu peço, pelo amor de Deus, nos ajudem com as medidas de proteção, nos ajude com as medidas de distanciamento, com as medidas de higiene. A gente não pode deixar o pior cenário acontecer aqui em Petrolina”.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal