Liberdade

Gilmar Mendes converte prisão preventiva por domiciliar a operador do “QG da Propina” do Rio

Ministro já tinha concedido a mesma decisão ao ex-prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella. Segundo o MPRJ, os acusados cometiam crimes de corrupção, peculato, fraudes em licitações e lavagem de dinheiro.

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes mandou soltar o empresário Rafael Ferreira Alves, preso em dezembro do ano passado na operação que teve como alvo o ex-prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella. Gilmar, Gilmar Mendes converte prisão preventiva por domiciliar a operador do “QG da Propina” do RioGilmar, Gilmar Mendes converte prisão preventiva por domiciliar a operador do “QG da Propina” do Rio

Na decisão divulgada neste sábado, 27 de fevereiro, o ministro substituiu a prisão preventiva por prisão domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica. 

No dia 12 de fevereiro, Gilmar Mendes autorizou Crivella a deixar a prisão domiciliar. Com a decisão, o ex-prefeito não precisa mais permanecer em casa, mas deverá cumprir medidas cautelares como comparecimento periódico à Justiça, proibição de sair do país, de manter contato com outros investigados, além de entregar o passaporte à justiça. 

Justiça concede alvará de soltura para o ex-prefeito do Rio, Marcelo Crivella
O ex-Prefeito do Rio, Marcelo Crivella. Foto: Raul Silva/PMRJ

No ano passado, o ex-prefeito foi preso em ação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e da Polícia Civil, como desdobramento da Operação Hades, que apura suposta corrupção na prefeitura da cidade e tem como base a delação do doleiro Sergio Mizrahy.

Na ocasião, a defesa de Crivella declarou que a decisão do ministro foi acertada, “na medida em que as gravosas restrições cautelares eram desnecessárias”.

Leia também:
>>> Justiça concede alvará de soltura para o ex-prefeito do Rio, Marcelo Crivella

Mendes liber Crivella de prisão domiciliar

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes revogou na última sexta, 12 de fevereiro, a decisão que concedeu, em dezembro do ano passado, prisão domiciliar ao ex-prefeito do Rio de Janeiro Marcelo Crivella. Ministro, Ministro Gilmar Mendes revoga decisão de prisão domiciliar a Marcelo Crivella

Com a decisão do ministro, Crivella não precisará mais permanecer em casa, mas deverá cumprir medidas cautelares como comparecimento periódico à Justiça, proibição de sair do país, de manter contato com outros investigados, além de entregar o passaporte em até 48 horas.

No ano passado, o ex-prefeito foi preso em ação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ) e da Polícia Civil, como desdobramento da Operação Hades, que apura corrupção na prefeitura da cidade e tem como base a delação do doleiro Sergio Mizrahy.

Agência Brasil

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal