Lockdown

Bolsonaro: lockdown é ‘politicalha’ e estados que adotarem terão de bancar auxílio

Declaração do presidente ocorre no momento em que governantes estudam e adotam medidas restritivas para conter a COVID-19 diante do colapso nas redes de saúde.

Em meio ao aumento dos números da pandemia da COVID-19no país, o presidente Jair Bolsonaro disse nesta sexta (26/2), que o governador que adotar medidas de restrição por conta da crise sanitária deverá bancar novas rodadas do auxílio emergencial.

A fala ocorre no momento em que governantes locais estudam e adotam medidas de fechamento para combater a disseminação do vírus, que matou mais de 251 mil brasileiros desde o início da pandemia.

Lockdown Bolsonaro
Bolsonaro durante visita às obras de duplicação da BR-222, em Caucaia (CE). Foto: José Dias/PR

“O auxílio emergencial vem por mais alguns meses e daqui para frente o governador que fechar seu Estado, o governador que destrói emprego, ele é que deve bancar o auxílio emergencial. Não pode continuar fazendo política e jogar para o colo do presidente da República essa responsabilidade”, declarou Bolsonaro durante visita às obras de duplicação da BR-222, em Caucaia (CE).

Durante live semanal nessa quinta-feira (25/2), Bolsonaro disse que a proposta estudada pelo governo é pagar o auxílio a partir de março, por quatro meses e no valor de R$ 250.

Presidente Bolsonaro em live da semana.
Presidente Bolsonaro em live da semana.

O pagamento da nova rodada do benefício, segundo ele, é “para ver se a economia pega de vez, pega para valer”. Contrário a medidas de restrição e incomodado com a pressão em cima do governo federal, Bolsonaro tem sugerido que a população cobre de prefeitos e governadores o pagamento do auxílio.

Fonte: em.com.br

Veja mais: Covid-19: Governadores decretam lockdown e ampliam restrições

Governadores decretam Lockdown

Distrito Federal

O governador Ibaneis Rocha decidiu antecipar, de segunda para amanhã, o início do lockdown no Distrito Federal: um novo decreto, que será publicado hoje, valerá a partir de sua publicação.

Apenas serviços essenciais poderão ficar abertos entre 20h e 5h. Nesta sexta, a Secretaria de Saúde informou que havia apenas um leito de UTI na rede hospitalar pública e privada.

“Queria muito evitar essa decisão, mas não temos outra opção a não ser tomar medidas mais fortes. Nossa taxa de ocupação dos leitos já está em 92%.” 

Ver mais:

>> Pesquisadores alertam para 3ª onda de covid em Manaus e pedem lockdown

Santa Catarina

O governo de Santa Catarina anunciou um novo decreto que suspende o funcionamento de serviços não essenciais. 

A medida entrará em vigor às 23h desta sexta-feira (26) e permanece até as 6h de segunda-feira, dia 1º de março de 2021. A decisão foi tomada para enfrentar o coronavírus em um momento de agravamento da pandemia no Estado. 

O lockdown também será aplicado no próximo final de semana, isto é, entre 5 e 8 de março. Em vídeo publicado nas redes sociais, o governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), declarou: 

“Não medimos esforços para proteger a vida dos catarinenses. Fizemos e continuamos fazendo tudo ao nosso alcance. O novo quadro que se apresenta é extremamente grave, e por isso, é fundamental que o Governo do Estado tome medidas ainda mais duras, pois o que importa é preservar a vida dos catarinenses”.

Paraná

O governador do Paraná, Ratinho Júnior (PSD), acaba de decretar lockdown em todo o estado. As medidas restritivas mais severas para tentar frear o novo coronavírus já vão começar neste sábado e vão durar até 8 de março, pelo menos.

Todas as atividades consideradas não essenciais estarão suspensas. As pessoas não poderão circular em espaços e vias públicas das 20h às 5h, período em que a venda de bebidas alcoólicas estará proibida.

 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal