Declaração

Ministro do Governo Federal diz que o “fique em casa” foi um erro mundial

De acordo com Luiz Eduardo Ramos, a pandemia seria comparada a um tsunami no Rio de Janeiro: algo que o país também não estaria preparado porque não é comum.

Em entrevista à Globo News no domingo 14 de fevereiro, o ministro da Secretaria de Governo, Luiz Eduardo Ramos, disse que a orientação para o distanciamento, chamada por ele de “fique em casa”, foi um erro mundial.

“A gente começou a ver as notícias da Itália de idosos serem encontrados mortos nas casa, o tal do fique em casa que foi um erro, na Espanha… Então é uma doença que, desde o seu início, ainda não se tem até a data de hoje um completo conhecimento.”, afirmou o ministro.

Na entrevista, Luiz Eduardo Ramos, que é ministro do Governo Bolsonaro, afirmou que não se sabia a gravidade da pandemia no início e também minimizou os erros do Governo Federal. Ainda de acordo com o ministro, a pandemia não é algo comum e que poderia ser comparada a um tsunami no Rio de Janeiro.

Leia também:
>>>Fernando Haddad sobre pandemia: “não podemos deixar o povo morrer de Covid-19 e de fome”

Números

Até o momento, o Brasil já conta com mais de 10 milhões de casos confirmados da doença. Desse número, 246.504 pessoas perderam a vida para o novo coronavírus. O país também soma mais de 9 milhões de recuperados. Vacinas foram desenvolvidas e já estão sendo aplicadas em diversos países do mundo, inclusive o Brasil, para frear os impactos da doença no planeta. No Brasil, estão sendo aplicados os imunizantes do Instituto Butantan e a da Universidade de Oxford.

Levantamento

Um estudo publicado nesta quinta-feira (28) por um grupo de reflexão na Austrália apontou a gestão pública brasileira da pandemia de Covid-19 como a pior do mundo. A estratégia da Nova Zelândia é considerada a melhor, embora o país tenha confirmado dois novos casos da variante sul-africana do coronavírus nas últimas horas.

Lowy Institute de Sydney analisou quase cem países de acordo com seis critérios, como casos confirmados, mortes e capacidade de detecção da doença. “Coletivamente, esses indicadores indicam quão bem ou mal os países administraram a pandemia”, diz o relatório desta instituição independente.

No total, o Brasil tinha 8.996.876 de infecções confirmadas e 220.161 mortes na quarta-feira (27), para uma população de 209,5 milhões de habitantes. A Nova Zelândia registrou 2.299 casos do novo coronavírus e 25 mortes desde o início da pandemia, em uma população de cerca de 5 milhões de pessoas. No mundo, mais de 100 milhões de pessoas foram infectadas com o vírus e 2,2 milhões morreram desde dezembro de 2019.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal