Vaja Jato

Veja o conteúdo das conversas entre Moro e procuradores liberadas pelo STF

Material tem 50 páginas e foi incluído no processo pela defesa do ex-presidente Lula.

Mais arquivos da Lava Jato vieram à tona nesta segunda-feira (1). O ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), retirou o sigilo das conversas entre procuradores da Operação Lava Jato e o ex-juiz Sergio Moro

O conteúdo dos diálogos foi incluído no processo pela defesa do ex-presidente Lula. O material tem 50 páginas. Leia a íntegra.

Confira Documento: Pedido-de-Lula-ao-STF 

Os diálogos foram obtidos pelos advogados de Lula depois que o próprio Lewandowski decidiu que eles poderiam ter amplo acesso ao material apreendido na Operação Spoofing. A ação teve como alvo os hackers que conseguiram rastrear os celulares de autoridades de Brasília, entre elas o próprio Moro.

Uma parte substancial do arquivo dos aparelhos de Moro e procuradores foi entregue ao site The Intercept Brasil em 2019. Em parceria com outros veículos, o Intercept publicou os diálogos no que ficou conhecido como o escândalo da Vaza Jato.

Decisão 

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), retirou o sigilo que havia imposto aos autos da Reclamação (RCL) 43007, em que garantiu à defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva acesso aos arquivos da Operação Spoofing. A operação investiga a invasão de dispositivos eletrônicos de autoridades, como o ex-juiz e ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro e o procurador da República Deltan Dallagnol, então integrante da força-tarefa da Operação Lava-Jato. Os arquivos integram ação penal em curso na Justiça Federal.

Nos autos da reclamação, Lewandowski já havia determinado ao juízo da 10ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal que assegure ao ex-presidente Lula o compartilhamento das mensagens apuradas pela operação que lhe digam respeito, direta ou indiretamente, e as que tenham relação com investigações e ações penais contra ele movidas na 13ª Vara Federal de Curitiba (PR) ou em qualquer outra jurisdição, ainda que estrangeira.

Veja Mais 

>>>Governo Crivella pagou quase R$ 1,5 bilhão à empresas ligadas ao ‘QG da Propina’, diz O Globo

 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal