Solicitação

ACS-PE pede ao Governo de PE prioridade na vacinação dos Policiais e Bombeiros Militares na vacina contra a Covid-19

Em ofício encaminhado pelo presidente da associação Albérisson Carlos, é pedido que se leve em consideração os profissionais desta categoria, pois atuam na linha de frente no combate do novo coronavírus.

A Associação Pernambucana dos Cabos e Soldados Policiais e Bombeiros Militares (ACS-PE), por meio de seu Presidente Albérisson Carlos, apresentou ofício ao Governo de Pernambuco na terça-feira, 26 de janeiro, solicitando a inclusão dos Policiais e Bombeiros Militares no primeiro grupo prioritário para receber a vacina contra Covid-19.

O pedido se baseia em dois enformes técnicos emitidos pelo Ministério da Saúde sobre o Plano Nacional de Operacionalização de Vacinação contra a Covid-19, publicados em 19/01/2021 e 23/01/2021 respectivamente, que indicou os profissionais de segurança pública como público alvo prioritário na campanha de vacinação, levando em consideração critérios de exposição ao vírus e por consequência a infecção.

“O que pedimos no ofício enviado pela ACS-PE é nada mais do que a lógica quanto aos profissionais que atuam diretamente na linha de frente. Os Policiais e Bombeiros Militares estão mais que expostos e entrarem nesse primeiro momento como grupo prioritário para receber a vacina é um alento para esses guerreiros e guerreiras da segurança pública de Pernambuco. Estamos otimistas que nosso pleito será aceito, afinal, estamos apresentando documentos do Ministério da Saúde que só confirma a importância dessa questão”, disse Albérisson Carlos. 

Leia também:
ACS-PE permanece em defesa da categoria em busca de conquistas

Vacinação em Pernambuco

Pernambuco recebeu, até o momento, 393.360 mil doses da vacina contra a Covid-19. Dessas, 309.360 mil foram da Sinovac/Butantan e 84 mil da AstraZeneca/Oxford/Fiocruz.
 
Todos os municípios pernambucanos já foram abastecidos dos imunizantes e estão vacinando os profissionais de saúde, idosos e deficientes institucionalizados, indígenas aldeados e idosos com idades a partir de 85 anos. Para garantir a eficácia das vacinas, independente do laboratório, é necessário que sejam tomadas duas doses do imunizante, e elas devem ser do mesmo fabricante.
 
É importante que todas as pessoas que tomaram a primeira dose estejam cientes da vacina que receberam, para que possam ficar atentos ao prazo de volta para a segunda dose e, assim, completar o esquema vacinal contra a Covid-19.
 
 
 
 

Deixe seu comentário

[gs-fb-comments]
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal