Retenção

Paulo Câmara vai reservar 70% das vacinas para Saúde e repassará 30% para prefeituras

A decisão formalizada pela Secretaria Estadual de Saúde foi fruto de um “pacto” com os secretários municipais de Saúde, vinculados às prefeituras.

O Governo de Pernambuco de Paulo Câmara informou que vai reter 70% (setenta por cento) das doses de vacinas de covid-19 recebidas em Pernambuco, destinando estas doses para os trabalhadores da área de saúde da rede estadual.

Com a determinação de Paulo, as prefeituras receberão apenas os 30% (trinta por cento) das doses recebidas em Pernambuco.

Segundo o texto oficial, do “montante das doses recebidas pelo Estado de Pernambuco para vacinação do COVID-19 para os trabalhadores da saúde, 30% serão de competência municipal e o remanescente será destinado para cobertura das unidades de referência ao tratamento da COVID-19 sob gestão estadual”.

Ver mais: 

>> Paulo Câmara e João Campos entregam 10 leitos de UTI no Hospital da Pessoa Idosa

>> Paulo Câmara: “Coloquei o estado de Pernambuco à disposição dos cidadãos amazonenses”

>> Paulo Câmara reforça sistema prisional com entrega de novos veículos

A justificativa foi que as “doses recebidas para Campanha de Vacinação na primeira fase contra a COVID-19 contemplam neste momento apenas 34% dos trabalhadores da saúde, as pessoas com 60 anos ou mais institucionalizadas, povos indígenas aldeados e pessoas com deficiência institucionalizadas”.

Paulo, Paulo Câmara vai reservar 70% das vacinas para Saúde e repassará 30% para prefeituras
Foto: Reprodução

O acordo foi assinado, na quinta-feira (21), pelo secretário estadual André Longo e por José Edson de Sousa, secretário municipal de Saúde de Gravatá, no Agreste, que é o presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Pernambuco (COSEMS/PE).

Além de atual secretário de Saúde de Gravatá, José Edson também é ex-prefeito de Brejo da Madre de Deus. Ele foi prefeito entre 2009 e abril de 2013, quando teve o diploma cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), sendo retirado da Prefeitura de Brejo da Madre de Deus por ordem judicial.

Até o momento os prefeitos não reclamaram do “pacto” e nem foram procurar informações com os respectivos secretários de saúde, antes de se pronunciarem abertamente.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal