Vacinação

Distribuição de vacinas da AstraZeneca deve começar neste sábado

Os 2 milhões de doses serão enviadas amanhã aos estados

Os 2 milhões de doses da AstraZeneca contra a covid-19 que devem chegar da Índia nesta sexta-feira (22) serão distribuídas aos estados a partir da tarde de sábado (23). Segundo o presidente Jair Bolsonaro, a Força Aérea Brasileira está à disposição para agilizar a distribuição da vacina pelo país.vacinas, Distribuição de vacinas da AstraZeneca deve começar neste sábadovacinas, Distribuição de vacinas da AstraZeneca deve começar neste sábado

“Pode ter certeza que a Aeronáutica está aí para servir o Brasil e essa vacina, se chegar hoje à noite, amanhã começa a chegar a seus destinos”, disse Bolsonaro.

Bolsonaro falou com a imprensa ao deixar o Palácio da Alvorada, após café da manhã com parlamentares na residência oficial. Ele reafirmou que a vacinação não será obrigatória e recomendou que as pessoas leiam os estudos dos imunizantes.

“Ela tem que ser voluntária, afinal de contas não está nada comprovado cientificamente com essa vacina ainda. E peço que o pessoal leia o contrato com a empresa para tomar pé de onde chegaram as pesquisa e porque não se concluiu ainda dizendo que uma vacina é perfeitamente eficaz. Pelo que tudo indica, segundo a Anvisa, ela vai ajudar que casos graves não ocorram no Brasil, para quem for vacinado”, afirmou.

AstraZeneca

As vacinas devem chegar ao Brasil nesta sexta-feira, no fim da tarde. A carga vinda da Índia será transportada em voo comercial da companhia Emirates ao aeroporto de Guarulhos e, após os trâmites alfandegários, seguirá em aeronave da Azul para o Aeroporto internacional Tom Jobim, no Rio de janeiro.

De acordo com a Fiocruz, assim que chegarem à instituição, as vacinas passarão por checagem de qualidade e segurança, além de rotulagem, com etiquetagem das caixas com informações em português. A previsão é que esse processo seja realizado até manhã de sábado (23) por equipes treinadas em boas práticas de produção. As vacinas devem ser liberadas para distribuição no período da tarde.

“Ao longo de todo o trajeto até Bio-Manguinhos/Fiocruz, as vacinas estarão armazenadas em seis caixas do tipo pallets, que serão acondicionadas em envirotainers, pequenos containers utilizados para transportes de carga que necessita de controle de temperatura. Nesses envirotainers, as vacinas serão mantidas na temperatura entre 2 a 8ºC”, informou a Fiocruz.

Agradecimento

Pelas redes sociais, o presidente agradeceu o ministro indiano pela liberação das vacinas. “Obrigado por nos auxiliar com as exportações de vacinas da Índia para o Brasil”, diz a publicação.

 

Veja Mais  

>>>Idosa de Campina Grande pede para que boneca seja vacinada contra à Covid-19

Idosa pede para vacinar boneca 

Na cidade de Campina Grande, na Paraíba, uma senhora de 87 anos depois que recebeu a primeira dose da vacina CoronaVac, pediu para que a sua boneca também fosse vacinada com a vacina da Covid-19. Ao ouvir o pedido da idosa, a técnica de enfermagem atendeu o apelo e simulou uma aplicação na boneca chamada Cidinha.

A técnica de enfermagem disse que viu no olhar da idosa um sentimento de gratidão que não se pode explicar.

“Ela, com aquele acolhimento que a gente não esperava, disse: ‘vacina minha filha Cidinha, para ela não ficar doente, por favor. Nem ela, nem eu’. Quando apliquei a vacina [a simulação da vacinação na boneca], vi no olhar dela uma gratidão imensa”, contou Alailza, segundo registro do portal local T5.

O estado da Praíba vai vacinar mais de 54 mil pessoas que fazem parte do grupo prióritário, entre eles, trabalhadores da saúde, índigenas aldeados, pessoas idosas que moram em asilos e cidadãos com defici~encia institucionalizada. As doses do imunizante CoronaVac foram produzidas pelo Instituto Butantan, em parceria com o laboratório Chinês SinoVac.

Leia também:
>>>Norte e Nordeste tem as maiores taxas de mortes de Covid-19 no Brasil

Levantamento

Um estudo publicado na revista The Lancet Respiratory Medicine mostrou que, entre os pacientes internados na UTI nas redes pública e privada, a taxa de mortes pela doença no território nacional foi de 55%.

As regiões Norte e Nordeste registraram 79% e 66%, respectivamente, enquanto Centro-Oeste, Sudeste e Sul, 51%, 49% e 53%.

Foram acompanhados 254.288 mil pacientes, com idade média de 60 aos, entre fevereiro e agosto do ano passado.

Antes da pandemia, a desigualdade nas regiões já era evidente. No início da pandemia, por exemplo, o Sudeste tinha cerca de duas vezes mais leitos de UTI por pessoa do que o Norte.

Estados

Na lista de estados com mais mortes, São Paulo ocupa a primeira posição (50.652), seguido por Rio de Janeiro (28.215), Minas Gerais (13.721), Ceará (10.243) e Pernambuco (10.098). As Unidades da Federação com menos óbitos são Roraima (816), Acre (840), Amapá (1.016), Tocantins (1.330) e Rondônia (2.056).

 

Deixe seu comentário

[gs-fb-comments]
WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal