Resposta

Secretaria de Educação do Recife diz que vai prestar todos os esclarecimentos ao TCE sobre robôs humanóides

De acordo com a pasta, a aquisição dos equipamentos tecnológicos faz parte do planejamento de fortalecimento do Programa Robótica na Escola.

A Secretaria de Educação do Recife disse que vai explicar ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) a necessidade de robôs humanóides nas escolas da cidade. A pasta da Prefeitura do Recife afirmou que vai prestar todos os esclarecimentos dentro do prazo determinado pelo órgão.

A Secretaria de Educação do Recife disse que a compra dos equipamentos tecnológicos faz parte do planejamento de fortalecimento do Programa Robótica na Escola. Ainda de acordo com a pasta, o processo ainda não foi concluído, logo não aconteceu nenhum pagamento.

A Robótica humanóide utiliza robôs com aparência humana para realizar diversas atividades com fins educacionais. Os robôs têm papel interativo com os estudantes em diversas áreas do conhecimento, além de ser um recurso tecnológico apropriado para a inclusão de pessoas com deficiência. A linha de robótica avançada está disponível para a educação infantil, ensino fundamental e educação de jovens e adultos.

Leia também:
>>>João Campos cumpre isolamento após Tabata contrair Covid-19

Medida

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-PE), através da conselheira Teresa Duere, expediu uma medida cautelar, na quinta-feira (14), que suspende o pagamento pela aquisição sem licitação, da Prefeitura do Recife, na compra de cinco robôs humanoides Pepper, pelo custo total de R$ 2,5 milhões.

O TCE protocolou o pedido a suspensão do pagamento pelo Ministério Público de Contas de Pernambuco (MPCO), na semana passada.

O alto valor foi questionado e a aquisição dos robôs tinha sido autorizada na gestão anterior, do ex-prefeito Geraldo Julio (PSB), em uma dispensa de licitação.

Segundo a decisão do TCE, o pagamento pelos robôs, durante o estado de calamidade da pandemia, desobedecia duas recomendações conjuntas do TCE, a Recomendação TCE/PGJ 01/2020 e a Recomendação Conjunta TCE/MPCO 03/2020.

As recomendações determinavam às prefeituras priorizar os recursos para o enfrentamento da covid19, evitando gastos supérfluos e adiáveis.

“Temos o anúncio, por parte da Prefeitura do Recife, de reabertura de leitos, conforme conste da página oficial da prefeitura (23/12/2020 – DOC. 03), assim como a intenção de compra de um milhão de doses da vacina de covid-19 diretamente ao Instituto Butantan, caso o Governo Federal não viabilize a distribuição do imunizante (08/01/2021 – DOC. 04), ao lado de campanhas de conscientização também anunciadas (09/01/2021 – DOC. 05); ações que demandam esforços financeiros e priorização na gestão dos recursos públicos, e que só reforçam a necessidade de atenção ao propósito das recomendações citadas”, disse Teresa Duere, na decisão oficial.

Com a medida cautelar, o pagamento não poderá ser realizado, até que a questão seja analisada pela Segunda Câmara do TCE, composta por três conselheiros.

A decisão do TCE, foi para “determinar que a Secretaria de Educação do Recife não realize qualquer pagamento à empresa, até nova decisão do TCE-PE”.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal