Justiça

Delegada Patrícia diz que vai recorrer após Governo de PE negar pedido de licença

A negativa foi publicada no Diário Oficial do Estado no dia 13 de janeiro, com um dos motivos de que a servidora responde a processo administrativo, assim poderia dificultar o andamento do processo.

A delegada da polícia civil Patrícia Domingos, filiada ao partido Podemos, informou que vai recorrer na Justiça da decisão do governo de Pernambuco que negou o pedido de licença feito pela servidora para um período de dois meses sem remuneração. 

A decisão foi publicada no dia 13 de janeiro, com informações do gerente geral Administrativo e Financeiro de Pessoal do Estado, Enéias Ferreira Leite de Oliveira.

Delegada Patrícia tem pedido de licença por dois anos negado
Decisão publicado no Diário Oficial da União. Foto: Reprodução

A decisão publicada no Diário Oficial do Estado, foi baseada em notas técnicas da Polícia Civil e da Secretaria de Administração de Pernambuco, assim como também pelo fato da servidora estar respondendo a um processo administrativo, que poderia dificultar o andamento do processo, alegou Enéias, segundo o blog do Magno.

Veja mais:
>>> Governo de PE nega pedido de licença de dois anos de Patrícia Domingos ao alegar que servidora responde processo administrativo

Nota

O Portal fez contato com a Delegada para se confirmar o pedido de licença por dois anos, com possibilidade de prorrogação de mais um, sem remuneração.

Em resposta a delegada enviou uma nota dizendo ser lamentável a negativa do governo e ressaltou a lei que impede servidores estaduais a tecer comentários ou opiniões que critique atos do Governo.

Destacou ainda ser lamentável que tenham negado uma licença sem remuneração a uma servidora e chegou a cogitar que seja o único caso de uma negativa dessas em 200 ano de polícia civil.

Por fim, comentou a justificativa de que poderia atrapalhar o andamento de um processo administrativo em curso e afirmou que vai recorrer da decisão na Justiça.

Acompanhe a nota na íntegra: 

É lamentável negarem a um servidor a concessão de uma licença sem remuneração. Talvez eu seja o único caso de uma negativa dessas em 200 anos de polícia civil.

Licença essa prevista em lei, sem nenhum custo para o estado, pois eu não receberia salário algum. Sobre a justificativa de que eu poderia atrapalhar o andamento de um processo administrativo em curso, informo que compareci a todas as audiências para as quais fui intimada na corregedoria, demonstrando minha total boa vontade em colaborar para a conclusão desse processo.

Como, infelizmente, a lei me proíbe criticar os atos do Governo, não posso sequer expor minha opinião, então deixo que vocês tirem suas próprias conclusões sobre essa situação.

Informo que vou recorrer na justiça contra essa decisão.

Patrícia Domingos

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal