Opinião

Bolsonaro: “Essa de 50% é uma boa vacina ou não?”

Questionamento do presidente foi feito em conversa com os apoiadores na manhã desta quarta-feira, 13 de janeiro.

Depois da divulgação do resultado global da vacina CoronaVac com uma taxa de 50,38%, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, disse aos apoiadores, nesta quarta-feira (13), que está “apanhando por causa da vacina” há quatro meses. O atual chefe do executivo também fez críticas ao resultado do imunizante. Segundo ele, as pessoas “estão vendo a verdade”.

“Essa de 50% é uma boa vacina ou não? O que eu apanhei por causa disso. Agora estão vendo a verdade. Eu estou há quatro meses apanhando por causa da vacina. Entre eu e a vacina tem a Anvisa. Eu não sou irresponsável. Não estou a fim de agradar quem quer que seja”, afirmou Bolsonaro.

A vacina CoronaVac vem sendo desenvolvida pelo Instituto Butantan, em parceria com a farmacêutica chinesa SinoVac. Atualmente, a pandemia do novo coronavírus já infectou mais de 8 milhões de brasileiros. Desse número, mais de 7 milhões já estão recuperados da doença e mais de 200 mil cidadãos perderam a vida para a doença.

Leia também:
>> Governo decreta sigilo de 100 anos da carteira de vacinação de Bolsonaro
>> Ministro Pazuello: “354 milhões de doses estão asseguradas em 2021”

Resultado de eficácia da CoronaVac

O Instituto Butantan divulgou, nesta terça-feira (12), a taxa de eficácia global da CoronaVac. O imunizante, que foi produzido pelo Instituto brasileiro em parceria com a farmacêutica chinesa SinoVac, tem 50,4% de eficácia, segundo dados do Butantan. O imunizante vem sendo defendido pelo atual governador do estado de São Paulo, João Doria. Segundo ele, a vacinação no Estado começará no dia 25 de janeiro, dia em que a maior metrópole do país fará aniversário.

Na semana passada, o Instituto Butantan, que é vinculado ao Governo de São Paulo, tinha anunciado que a eficácia do imunizante era de 78% para casos leves e de 100% para os casos graves da doença. Com o resultado da eficácia global, o significado é que há uma chance de 50% de chances da pessoa que tomou o imunizante se infectar e apresentar um quadro muito leve da doença.

Mesmo com o percentual mais baixo que a semana passada, o índice exigido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e por outras organizações de saúde está acima do patamar considerado.

“Nenhuma outra companhia que está desenvolvendo vacina apresentou dados de forma detalhada antes da autorização do uso emergencial. E nós estamos aqui fazendo isso”, afirmou o presidente do instituto, Dimas Covas.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal