Alianças

Em busca de apoio, Arthur Lira visita Paulo Câmara, João Campos e bancada federal do Estado

O deputado concorrerá a presidência da Câmara contra o deputado Baleia Rossi (MDB-SP) no próximo dia 1º de fevereiro.

O deputado federal, Arthur Lira (PP), que é candidato a presidência da Câmara dos Deputados, com apoio de Bolsonaro, fará uma nova visita ao Estado, nesta quarta-feira (13), para pedir o voto da bancada de deputados federais, em meio ao recesso.

Arthur concorrerá a presidência da Câmara contra o deputado Baleia Rossi (MDB-SP) que terá o apoio do atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

O deputado alagoano terá um café da manhã com o governador Paulo Câmara, com a participação do prefeito do Recife e ex-deputado federal João Campos.

Ver mais:

>> Maia diz que Arthur Lira usa “narrativas falsas” como Bolsonaro

>> Mourão afirma que tanto Arthur Lira, quanto Baleia Rossi “votam com o governo”

>> Arthur Lira: “Não serei líder do governo nem terei truculência política de Maia”

Depois deste encontro, Lira deve falar a imprensa local, um dia depois do que fez o seu principal concorrente, Baleia Rossi, do MDB, que lançou na segunda-feira (11) oficialmente sua postulação, no Congresso Nacional.

O segundo compromisso do deputado federal será um almoço, com os 25 deputados da bancada federal do Estado, em um restaurante da Zona Sul da cidade. A sua disposição é tentar buscar a maioria da bancada estadual, roubando votos do concorrente paulista, que fechou apoio dos partidos de esquerda para a disputa legislativa.

Por decisão do STF, Maia não pode se candidatar novamente. Mas o emedebista tenta montar um grupo que rivalize com Lira na disputa e fala em 3 possíveis nomes: Baleia Rossi (MDB-SP), Aguinaldo Ribeiro (PP-PB) ou Marcos Pereira (Republicanos-SP).

“A gente também tem todo o lado assim, de muita truculência no seu final. De muita pauta exclusivista. Truculência política, regimental, no final da gestão do presidente [Maia]”, declarou Lira durante a entrevista ao dar exemplo de como não pretende atuar se for eleito. Disse que, se eleito, evitará esse tipo de atitude que hoje condena em Maia.

O deputado se aproximou do Palácio do Planalto em 2020. Falou que seu partido e ele são da base do governo de Jair Bolsonaro.

“Eu não serei líder do Governo, serei um presidente da Câmara dos Deputados”.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal