Garantia

João Campos diz que o Recife vai comprar a vacina se o ministério não fizer distribuição para as cidades brasileiras

O gestor informou que a prefeitura está em contato com fabricantes de vacinas. 'O que a gente não pode aceitar é que o Recife fique sem vacina', afirmou o socialista.

O prefeito do Recife, João Campos (PSB), afirmou, nesta quarta-feira (6), que o município está em diálogo com fabricantes de vacinas para distribuição tratar da imunização da população da cidade contra a Covid-19.

“Se o Ministério [da Saúde] não fizer a distribuição para as cidades brasileiras, o Recife vai comprar a vacina diretamente”, afirmou.

Segundo Campos, uma reunião de um núcleo de gestão, formado por secretarias de caráter decisório, foi marcada para esta quarta-feira (6). A imunização é um dos assuntos do encontro, e, de acordo com o prefeito, a questão é tratada por meio de dois eixos específicos, sendo um deles o diálogo com o governo federal e o Plano Nacional de Imunização (PNI).

“Cabe ao Ministério [da Saúde] a aquisição e distribuição das vacinas. Isso é o normal e é o que é certo. Mas a gente não pode apenas aguardar que isso aconteça, porque, se o ministério simplesmente desejar não fazer, eu não vou achar que isso é normal e vou dar início ao plano próprio”, declarou em entrevista ao Bom Dia Pernambuco desta quarta-feira (6).

Ver mais:

>> João Campos: “A vacina é o grande foco nesse começo de ano”

O plano, segundo o prefeito, prevê a logística, infraestrutura e aquisição dos insumos necessários.

“O que a gente não pode aceitar é que o Recife fique sem vacina. A gente está em diálogo com a parte da logística, da infraestrutura, e também estamos fazendo diálogo com fabricantes de vacinas”, disse.

Ainda de acordo com o gestor, cerca de 600 mil pessoas que fazem parte do 1,6 milhão de habitantes são do grupo de risco da doença transmitida pelo novo coronavírus, e a cidade tem recursos financeiros para custear o processo de imunização.

“Se comparado a outros países ou cidades no mundo, não é um número tão expressivo. O Recife pode bancar isso”, contou.

“Esse ano vai ser um ano desafiador. Nosso foco total vai ser a vacina nesse início de ano, para a gente conseguir vacinar a população e dar um salto para um novo tempo”, afirmou João Campos.

Ainda em relação à pandemia da Covid-19, o prefeito do Recife explicou que a gestão realiza a aquisição de materiais de infraestrutura escolar para possibilitar a retomada das aulas presenciais com o cumprimento de protocolos de prevenção à doença. Também deve ser feito um estudo do déficit de aprendizagem dos alunos.

“A gente vai fazer uma medição para medir o déficit de aprendizagem individualizado. A gente tem que entender o que cada aluno perdeu durante a pandemia […] e que cada escola possa construir um plano individualizado por turma, por aluno, do que vai ser feito para poder suprir esse déficit”, declarou.

A rede municipal depende de uma autorização do comitê estadual de combate ao novo coronavírus para fazer a retomada das atividades presenciais em instituições de ensino.

“A previsão de volta às aulas pelo calendário normal é em março. Então, o nosso esforço conjunto vai ser que, até março, toda essa infraestrutura esteja apta para poder fazer o retorno, que depende da autorização do comitê e de um diálogo com a rede municipal”, disse.

Da redação do Portal com informações da G1 Pernambuco

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal