Demissão

SDS demite Áureo Cisneiros e diz que ele teve julgamento justo, saindo por erros como policial

O comunicado oficial da demissão de áureo foi publicado no Diário Oficial do Estado nesta terça-feira (5).

Após anunciar a demissão do policial e sindicalista Áureo Cisneiros, a Corregedoria Geral da SDS, através de uma nota oficial.

Para a Secretaria de Defesa Social (SDS) informou que o comissário Áureo Cisneiros Luna Filho respondeu a 21 Processos Administrativos Disciplinares (PADs) e, “no último deles, incorreu na contumácia da prática de transgressões disciplinares”.

“A pena prevista é de demissão, conforme o artigo 49 do Estatuto dos Policiais Civis do Estado de Pernambuco. O servidor em questão já havia sido penalizado com suspensão em outros 7 processos administrativos, em 4 deles com a dosimetria máxima de 30 dias. Parecer da Procuradoria Geral do Estado reforça que o PAD que fundamentou a demissão foi instaurado e conduzido de acordo com as prescrições legais e constitucionais, tendo sido garantido o direito à ampla defesa e ao contraditório”.

“Ressalte-se que, desde 2015, 310 profissionais da segurança pública de Pernambuco foram demitidos ou excluídos do serviço público, após o cumprimento de todos os requisitos legais e etapas dos procedimentos administrativos a que foram submetidos”.

Ver mais:

>> O PSOL não pode ser um puxadinho do PSB no Recife e muito menos no Estado”, afirma Aureo Cisneiros

“A Corregedoria da SDS respeita o livre exercício de manifestação e rearma que o amplo direito de defesa é garantido em todos os processos disciplinares. É importante esclarecer que esses processos, conduzidos de forma técnica, investigam a atuação de servidores enquanto policiais, sem qualquer relação com atividade sindical”.

“Os policiais, sejam militares ou civis, são submetidos a comissões disciplinares compostas por seus próprios pares, os quais têm total autonomia e independência para conduzir os Processos Administrativos Disciplinares. Não há, no trabalho da Corregedoria, qualquer juízo de valor, apenas o cumprimento da legislação e regimentos das corporações”.

Entenda a polêmica:

Depois de passar vários anos respondendo processos administrativos, o comissário de polícia Aureo Cisneiros, ex-presidente do Sinpol e candidato a cargos eletivos pelo PSOL, foi desligado dos quadros  o Estado.

O processo mais antigo citado pela Corregedoria Geral da SDS datam de outubro de 2017.

SDS, SDS demite Áureo Cisneiros e diz que ele teve julgamento justo, saindo por erros como policial
Foto: Reprodução

Veja a ‘nota de repúdio’ da atual direção do Sinpol:

O SINPOL-PE vem a público repudiar veementemente a atitude covarde do Governo do Estado pela demissão do companheiro Áureo Cisneiros da Instituição da Polícia Civil de Pernambuco, publicada no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (5).

Queremos destacar que essa atitude só demonstra a perseguição política que o companheiro Aúreo Cisneiros vem sofrendo há anos, pela sua atuação contundente enquanto sindicalista, sempre na defesa dos direitos da nossamcategoria, quando em sua gestão conseguiu a maior conquista salarial da história da Polícia Civil em Pernambuco.

“Desde dezembro de 2018, o governador estava com essa demissão em mãos. De maneira muito sórdida, antidemocrática e anti-sindical, comete um absurdo desses, sabendo que todos os processos de Áureo se devem por sua atuação em defesa dos policiais civis”, ressaltou o presidente do SINPOL-PE, Rafael Cavalcanti.

O SINPOL-PE considera esse tipo de postura um atentado contra toda a classe trabalhadora, o movimento sindical e a Polícia Civil de Pernambuco. O SINPOL-PE ressalta que não se intimidará e tomará todas as medidas cabíveis na defesa dos direitos do companheiro Áureo Cisneiros, oferecendo-lhe todo o suporte necessário.

Sindicatos ligados aos partidos de esquerda estão prestando solidariedade nas redes sociais, depois da confirmação da demissão.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal