Repercussão

Lula, Maia e FHC declaram apoio e solidariedade a Dilma e criticam atitude de Bolsonaro

Na última segunda-feira, 28 de dezembro, o presidente do Brasil colocou em dúvida a tortura sofrida pela petista durante a ditadura militar.

Após o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, colocar em dúvida a tortura sofrida pela ex-presidente Dilma Rousseff durante a ditadura militar, políticos declararam apoio e solidariedade a ex-chefe da nação. Na ocasião, políticos como Fernando Henrique Cardoso, Luiz Inácio Lula da Silva e Rodrigo Maia também teceram críticas ao presidente do Brasil pelas palavras ditas.

O ex-presidente do Brasil Fernando Henrique Cardoso disse que é inaceitável brincar com a tortura da ex-presidente ou de qualquer pessoa.

“Minha solidariedade a ex Pr Dilma Rousseff. Brincar com a tortura dela — ou de qualquer pessoa — é inaceitável. Concorde-de ou não com as atitudes políticas das vítimas. Passa dos limites”, expressou FHC no Twitter.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também disse nas redes sociais, na última segunda-feira 28 de dezembro, que o país perde a sua humanidade toda vez que o presidente do Brasil abre a boca.

“O Brasil perde um pouco de sua humanidade a cada vez que Jair Bolsonaro abre a boca. Minha solidariedade a presidenta Dilma, mulher detentora de uma coragem que Bolsonaro, um homem sem valor, jamais conhecerá.”, disse Lula.

O atual presidente da Câmara dos Deputados também usou as redes sociais para manifestar apoio a Dilma.

“Bolsonaro não tem dimensão humana. Tortura é debochar da dor do outro. Falo isso porque sou filho de um ex-exilado e torturado pela ditadura. Minha solidariedade a ex-presidente Dilma. Tenho diferenças com a ex-presidente, mas tenho a dimensão do respeito e da dignidade humana”, expressou Maia.

Além dos políticos citados, também manifestaram apoio a Dilma o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, o ex-governador do estado do Ceará Ciro Gomes e o deputado federal Baleia Rossi.

Leia também:
>>>Dilma Rousseff diz que Bolsonaro tem “índole de torturador”

Resposta

A ex-presidente do Brasil, Dilma Rousseff disse que o presidente do país, Jair Bolsonaro tem “índole de torturador”. A declaração foi publicada por meio de nota no blog da petista. O posicionamento de Dilma também foi republicado no site do Partido dos Trabalhadores (PT).

Segundo Dilma, Bolsonaro promoveu mais uma sessão de infâmia e torpeza, falando a um grupo pequeno grupo de apoiadores, na última segunda-feira, 28 de dezembro.

A ex-chefe da nação brasileira também disse que o atual gestor federal não respeita nenhum limite imposto pela educação e pela civilidade. De acordo com Dilma, uma exigência a qualquer político e, ainda mais, a um presidente da República. Além de tecer críticas a Bolsonaro, a petista declarou que o presidente do Brasil desmoraliza mais uma vez o cargo que ocupa.

“Bolsonaro não insulta apenas a mim, mas a milhares de vítimas da ditadura militar, torturadas e mortas, assim como aos seus parentes, muitos dos quais sequer tiveram o direito de enterrar seus entes queridos”, disse a ex-presidente.

A nota publicada em nome de Dilma também expressa o sentimento da petista sobre o posicionamento do presidente em certas situações.

“É triste, mas o ocupante do Palácio do Planalto se comporta como um fascista. E, no poder, tem agido exatamente como um fascista. Ele revela, com a torpeza do deboche e as gargalhadas de escárnio, a índole própria de um torturador. Ao desrespeitar quem foi torturado quando estava sob a custódia do Estado, escolhe ser cúmplice da tortura e da morte.”

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal