Livre Acesso

Lewandowski ordena que Lula tenha acesso a mensagens hackeadas da Lava Jato

Processo apura invasão de celulares de autoridades por hackers.

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta segunda-feira (28) que a 10ª Vara Federal de Brasília compartilhe com a defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva as mensagens colhidas na Operação Spoofing, que apura a invasão de celulares de diversas autoridades da República por um grupo de hackers.Lewandowski, Lewandowski ordena que Lula tenha acesso a mensagens hackeadas da Lava JatoLewandowski, Lewandowski ordena que Lula tenha acesso a mensagens hackeadas da Lava Jato

A defesa de Lula pediu acesso às mensagens alegando que nelas há diferentes menções aos processos contra o ex-presidente na Operação Lava Jato, conforme série de reportagens da imprensa.

Nas conversas, há por exemplo trocas de mensagens entre o ex-coordenador da Lava Jato no Paraná, o procurador Deltan Dallagnol, e o ex-juiz Sergio Moro, antigo titular da 13ª Vara Federal de Curitiba, responsável pela operação.

Ver mais:

>> Pedido de Lula sobre mensagens hackeadas é negado pela 8ª Turma

>> Entenda as bases legais e as polêmicas jurídicas da Operação Spoofing

>> Lula também tentará anular o processo do Sítio de Atibaia

Os advogados de Lula alegam ser necessário ter acesso ao teor do inquérito da Spoofing para identificar a possível parcialidade na condução dos processos contra o ex-presidente.

“Diante da verossimilhança da alegação e tendo em conta o direito constitucional à ampla defesa, defiro, por enquanto, sem prejuízo de providências ulteriores”, afirmou Lewandowski.

O ministro ordenou o compartilhamento, sob supervisão de peritos da Polícia Federal (PF) e no prazo de 10 dias, das mensagens arrecadadas pela Operação Spoofing que digam respeito a Lula “direta ou indiretamente, bem assim as que tenham relação com investigações e ações penais contra ele movidas na 13ª Vara Federal Criminal de Curitiba ou em qualquer outra jurisdição, ainda que estrangeira”.

Negado pelo TRF-4

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve o pedido negado pelo TRF-4. Os advogados dele queriam que as mensagens roubadas da Lava jato fossem usadas no processo do sítio de Atibaia.

Na primeira instância, o ex-presidente foi condenado a cumprir 12 anos e 11 meses de prisão. Ele é acusado de corrupção ativa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Da redação do Portal com informações da Agência Brasil

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal