Queda

Lula e Bolsonaro saem enfraquecidos nas eleições municipais

Principais forças do Brasil não conseguiram obter êxito nas eleições municipais desse ano.

As maiores autoridades políticas do Brasil saíram derrotadas nas eleições municipais deste ano. Opostos no campo político, mas líderes em suas extremidades, o ex-presidente Lula (PT) e o presidente Jair Bolsonaro não obtiveram bons resultados nas eleições.

O Partido dos Trabalhadores (PT) do ex-presidente Lula não levou nenhuma capital do Brasil. A queda do partido pode ser vista na redução no comando de capitais desde 2008. Em 2004, quando Luiz Inácio Lula da Silva (PT) estava no primeiro mandato da Presidência, o partido conseguiu eleger seu maior número de prefeitos em capitais: nove ao todo.

A partir dali, o PT foi caindo, até chegar em 2016 elegendo apenas Marcus Alexandre em Rio Branco-AC. Mesmo com a ajuda de Lula, o partido caiu ainda mais e não conseguiu eleger nenhum prefeito em capital em 2020.

Ver mais: 

>> Povo do Recife diz não ao PT e partido fica sem capitais pela 1ª vez na história

>> Com derrotas no Rio e em Fortaleza, Bolsonaro não elege nenhum candidato em capitais

O mesmo aconteceu com o presidente Bolsonaro que chegou a afirmar que não iria se meter nas eleições municipais, mas na reta final do primeiro turno declarou apoio a 13 candidatos, sendo 6 candidatos a capitais brasileiras.

Com as derrotas dos dois únicos que poderiam dar uma vitória a Bolsonaro neste domingo (29). O presidente também ficou sem prefeitos em capitais. Dos 13 candidatos apoiados por Bolsonaro, apenas dois venceram. Foram Gustavo Nunes (PSL) em Ipatinga-MG e Mão Santa (DEM) no município de Parnaíba-PI.

No primeiro turno, quatro já foram derrotados: Celso Russomano (Republicanos) em São Paulo-SP, a Delegada Patrícia (Podemos) no Recife, Bruno Engler (PRTB) em Belo Horizonte-MG e Coronel Menezes (Patriota) em Manaus-AM.

Marcelo Crivella (Republicanos) no Rio e Capitão Wagner (PROS) em Fortaleza foram ao segundo turno, mas acabaram derrotados neste domingo (29).

O lulismo e o bolsonarismo parece não ter a mesma força, como em eleições presidenciais.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal