Eleições 2020

Extrema esquerda perde em importantes capitais no 2º turno das eleições

As derrotas de Marília Arraes (PT) no Recife, Manuela D'Ávila (PCdoB) em Porto Alegre e Guilherme Boulos (PSOL) em São Paulo, determinaram queda em importantes cidades.

As principais apostas da extrema esquerda no segundo turno das eleições em importantes capitais brasileiras foram derrotadas neste domingo (29).

Os candidatos Guilherme Boulos (PSOL), Marília Arraes (PT) e Manuela D’Ávila (PCdoB) perderam para seus oponentes de segundo turno e culminaram no fracasso da esquerda em capitais importantes do Brasil.

Ver mais: 

>> Manuela vota e diz que Porto Alegre vai eleger sua primeira prefeita

>> Povo do Recife diz não ao PT e partido fica sem capitais pela 1ª vez na história

>> Boulos é diagnosticado com Covid-19 e debate na Globo é cancelado

Marília Arraes

No Recife, a candidata Marília Arraes era a esperança petista para ter um prefeito em capital. O partido que não tinha vencido em nenhuma capital no primeiro turno, tinha em Marília a principal aposta da sigla. Já que só teve dois candidatos em capitais e o outro estava muito atrás nas pesquisas.

O outro petista na disputa foi João Coser (PT) que disputava a Prefeitura de Vitória no Espírito Santo e perdeu o pleito para o Delegado Pazolini (Republicanos).

Marília chegou a liderar as pesquisas no início do segundo turno abrindo dez pontos de diferença para seu adversário, mas levou uma virada e perdeu com uma diferença de 13 pontos.

A disputa no Recife tinha uma curiosidade, pois se tratava de uma disputa entre primos, João Campos (PSB) e Marília Arraes são primos de segundo grau e transpareceram o racha familiar que já acontece há alguns anos.

A vitória de João resultou em 447.913 votos, o que representa 56,27%, contra 348.126 votos, do total de 43,73%, da sua prima Marília Arraes (PT), no segundo turno.

Com as derrotas de Marília e Coser, o PT ficou sem uma capital pela primeira vez desde a democratização.

Guilherme Boulos

O candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo foi uma das maiores surpresas da eleição. Subindo nas pesquisas, Boulos saltou para segunda colocação e chegou ao segundo turno com status de ‘surpresa’.

Na disputa contra o atual prefeito Bruno Covas (PSDB), Boulos não resistiu a máquina tucana que governa a cidade e o governo do Estado há anos e perdeu com uma diferença de quase 20 pontos. Bruno Covas (PSDB) teve 59,38% (3.169.121 votos) e Guilherme Boulos 40,62% (2.168.109 votos). Uma diferença de mais de 1 milhão de votos.

Manuela D’Àvila 

A comunista foi líder em todas as pesquisas no primeiro turno, mas levou uma virada e foi ao segundo turno com o segundo lugar.

Chegou a fica atrás nas pesquisas, mas na última do Datafolha apontou uma virada de Manuela.

Nas urnas, Manuela ficou atrás do prefeito eleito Sebastião Melo (MDB) em toda a apuração e perdeu com uma diferença de quase 10 pontos percentuais nos votos válidos.

Candidata à vice na chapa com Fernando Haddad (PT) nas eleições presidenciais em 2018. Manu era favorita a vencer o pleito, mas perdeu sua terceira eleição seguida.

No final, Melo teve 370.550 votos, o equivalente a 54,63% dos votos válidos. Já Manu obteve 307.745 votos, ou 45,37% dos votos válidos.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal