Pedido

Cid Gomes pede ao PT que não lance candidato ao Planalto em 2022

Senador salientou que o PT devia dar um passo para trás em prol de um campo progressista.

O senador Cid Gomes (PDT-CE), irmão de Ciro Gomes, declarou em entrevista ao Congresso em Foco publicada nesta quinta-feira (26), que o Partido dos Trabalhadores (PT), não devia lançar candidatura a presidente em 2022, pois o partido “tem hoje um antagonismo muito forte no Brasil”. Ele ressaltou ainda que o PDT e o PT vão continuar atuando em campos diferente no próximo pleito.

“Para mim, é muito claro que o PT tem hoje um antagonismo muito forte no Brasil e devia seguir o exemplo da Argentina . É hora de dar um passo para trás para que pelo menos se tenha um governo no campo progressista. Se eles tiverem essa posição de serem os protagonistas, vão sofrer de novo”, disse.

Em 2019, a ex-presidente da Argentina Cristina Kirchner abriu mão da própria candidatura para ser vice de Alberto Fernandéz. A chapa ganhou a eleição, o que impediu a reeleição de Maurício Macri, um dos principais líderes da direita no país.

Cid afirmou que o objetivo do PDT é de construir uma “frente progressista” em 2022.

Na críticas proferidas ao PT, o senador citou a disputa no Recife, que conta com Marília Arraes (PT) e João Campos (PSB). Para Cid, o PT ter insistido em uma candidatura própria, vai servir para acelerar um desgaste entre o PT e o PSB em nível nacional.

“Foram ações do PT que acabaram tirando o PSB de uma aliança com o PDT [em 2018]. Essas relações do PSB com o PT só se agravaram de 2018 para cá, só se gastaram. Veja Recife. A capital mais importante para o PSB, não tenho dúvida que é o Recife, e lá o PT tem um projeto antagônico ao PSB e nós estamos do lado do PSB”, ressaltou.

Apoio ao PSB no Recife

No último final de semana, o PDT declarou apoio à candidatura de João Campos. O presidente do partido Carlos Lupi e Ciro Gomes estiveram na capital pernambucana para caminhar ao lado de João.

Lembrando que o PSB declarou neutralidade na eleição presidencial em 2018, deixando de apoiar Ciro Gomes (PDT), após acordo com o PT para tirar a candidatura de Marília Arraes ao Governo de Pernambuco e os petistas apoiarem Paulo Câmara.

Ver mais: 

>> Túlio Gadelha retira candidatura, declara apoio João Campos e indica vice

>> Túlio Gadêlha é afastado do comando do PDT no Recife após insistir na própria candidatura

>> Partido de Túlio desiste de candidatura própria para apoiar João Campos

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal