Polêmica

Túlio Gadêlha acusa PSB de tentar “negociar” seu silêncio e é desmentido por chefe de gabinete

Em publicação na rede social, Gadêlha afirma que seu chefe de gabinete foi procurado pela coordenação de campanha do PSB.

Na noite desse domingo (22), o deputado federal Túlio Gadêlha do PDT, fez uma acusação um tanto quanto grave contra o PSB no Recife. Gadêlha, que neste final de semana anunciou apoio à candidatura de Marília Arraes, disse que o PSB tentou “negociar” o seu silêncio no segundo turno.

Na publicação em sua conta do Twitter, ele afirma que seu chefe de gabinete foi procurado pela coordenação de campanha do partido socialista, o qual o prefeiturável João Campos é filiado.

“Meu chefe de gabinete foi procurado pela coordenação da campanha do PSB no Recife. Disse que eles estavam querendo “negociar o meu silêncio” nesse segundo turno. Dá pra acreditar?! Me senti testemunha de um crime. Crime mesmo foi o que eles fizeram nesses últimos anos no Recife.”, escreveu o parlamentar.

O chefe de gabinete de Túlio é Rafael Bezerra, que prontamente foi ao Twitter desmentir a afirmação do pedetista.

“Gostaria de registrar, como Chefe de Gabinete do Deputado Federal  Túlio Gadêlha , que li o seu mais recente Twitter com grande consternação e tristeza”, expressou. Rafael ainda lamentou e se disse indignado com a situação, anunciando sua despedida da composição do mandato de Túlio Gadêlha.

Na contramão do partido

Ao declarar apoio a petista Marília Arraes,  Gadêlha agiu na contramão do PDT, que está do lado de João Campos no pleito recifense. Os líderes do partido, Ciro Gomes e o presidente nacional Carlos Lupi, estiveram na capital pernambucana para endossar a campanha do filho do ex-governador Eduardo Campos.

Lupi, inclusive, reagiu criticamente a posição do parlamentar, ressaltando que  “Qualquer posição de qualquer companheiro diferente desta é uma posição individual e que fere a decisão conjunta da direção municipal de Recife, endossada e apoiada pela direção nacional do PDT”.

Túlio é crítico a gestão do PSB e chegou a afirmar que iria ser candidato, mesmo após a aliança entre os partidos, mas foi afastado por Carlos Lupi, que apoiou a chapa João Campos com a também pedetista Isabela de Roudão.

Após a retirada da candidatura de Túlio, Marília chegou a se solidarizar com o pedetista e o chamou para “caminhar juntos”. 

Ver mais:

>> No Recife, Ciro Gomes destaca importância da vitória de João e Isabella

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Enviar Mensagem
Entre no Grupo de WhatsApp do Portal