Determinação

Lei garante coleta seletiva em eventos privados com mais de mil pessoas

Regulamento é de autoria do deputado estadual Wanderson Florêncio (PSC), presidente da Comissão de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Assembleia Legislativa de Pernambuco.

Os grandes eventos privados serão obrigados a realizar a coletiva. É o que determina a Lei 17.108/20, de autoria do deputado estadual Wanderson Florêncio (PSC), presidente da Comissão de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Assembleia Legislativa de Pernambuco.

A nova legislação estadual abrange qualquer evento, reunião, comemoração, espetáculo ou cerimônia que sejam realizados em locais privados em que estejam previstos um público superior a mil pessoas. Além da coleta seletiva, os organizadores precisam destinar o lixo seco ou resíduo reciclável para associações ou cooperativas de catadores.

“Esses eventos produzem grande quantidade de lixo, sendo uma enorme parcela reciclável, como latas e plásticos. É mais um avanço que conseguimos para tornar Pernambuco um estado mais sustentável”, afirmou Wanderson Florêncio.

Leia também:
>>>Wanderson Florêncio solicita o retorno da cobrança meia passagem nos ônibus aos domingos

“A coleta seletiva nesses eventos também servirá para conscientizar as pessoas da importância da reciclagem do lixo que produzimos, servindo de estímulo para que os pernambucanos realizem a separação dos resíduos em outros ambientes como residências e locais de trabalho”,acrescentou o parlamentar.

Crítica

Após vistoriar parte da BR-232, o deputado estadual Wanderson Florêncio (PSC) se mostrou preocupado e indignado com a situação da estrada mais importante do estado. O parlamentar questiona a eficácia do Programa Caminhos de Pernambuco, que está em andamento há mais de um ano e gastará R$ 505 milhões com a promessa de requalificar 5.554,5 quilômetros de vias até até 2022.
Wanderson Florêncio percorreu o trecho entre Recife e Caruaru e assustou a situação da BR-232. Além de buracos e obras que deixaram a pista desnivelada, colocando a vida das pessoas em risco, o excesso de vegetação já atrapalha a visão dos motoristas, o que mostra a falta de cuidado do Governo do Estado com a população.
“É a segunda vistoria que realizamos em menos de um ano e o cenário permanece assustador. O piche continua sendo utilizado onde deveria ter apenas concreto. Eu me pergunto como está sendo gasto os R$ 500 milhões que deveriam servir para a requalificação das estradas do estado. A BR-232 era para ser uma delas”, questiona o deputado.
O parlamentar lembra que um Pedido de Informação sobre o programa já foi enviado ao Governo do Estado. Os dados  estão sendo analisados para saber quais estradas de Pernambuco já foram e estão sendo requalificadas e qual a qualidade do material está sendo utilizado nas obras.
“É a via mais importante do estado, que conecta o Recife com os municípios do Agreste e do Sertão. Milhares de veículos passam por lá diariamente e sofrem com esse descaso. O Governo precisa explicar como essa grande quantidade de dinheiro está sendo gasta”, disse.
Da redação do Portal com informações da assessoria de Wanderson Florêncio 

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com