Derrota

Prefeitos investigados por Justiça não conseguem se reeleger em Pernambuco

Lula Cabral, Bruno Pereira, Mosar Tato, Clebel Cordeiro e Sérgio Hacker estão na lista.

O primeiro turno das eleições municipais ocorreu nesse domingo (15), e alguns candidatos em municípios de Pernambuco não foram reeleitos nas prefeituras. Pelo menos cinco nomes estavam sendo investigados e esse fator pode ter influenciado no pleito.

No Cabo, as eleições foi decidida entre Lula Cabral (PSB) e Keko do Armazém (PL). Lula Cabral recebeu 29,29% dos votos e ficou em segundo lugar. Keko garantiu 47,56%. Cabral chegou a ser preso em 2018, mas foi solto com o uso da tornozeleira. Ele foi acusado de desviar dinheiro do fundo previdenciário municipal.

Em São Lourenço da Mata, Vinícius Labanca, do PSB, foi eleito prefeito do município derrotando o candidato Bruno Pereira. Pereira já foi denunciado por suposta participação em um esquema de desvios de mais de R$ 20 milhões.

O prefeito de Itamaracá, Mosar Tato (PSB), também não foi reeleito na cidade, Na última sexta-feira (13), ele e a esposa foram alvos de uma investigação por lavagem de dinheiro. 

Em Salgueiro, Dr Marcones Sá, também do PSB, foi eleito nesse domingo (15), com 48,67%. Ele derrotou o prefeito Clebel Cordeiro, que fixou em segundo lugar por pouco: 47,30%. Clebel já foi alvo de investigação e preso no ano passado.

O prefeito de Tamandaré, Sérgio Hacker (PSB), não conseguiu se reeleger no município. Hacker é marido de Sarí Corte Real, indiciada pela morte de Miguel, de cinco anos. Hacker recebeu 43,12% dos votos, perdendo para o candidato do Republicanos, Carrapicho, que foi eleito com 54,2%.

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com