Reforço

MP Eleitoral pede força policial durante as eleições em Água Preta (PE) e Gravatá (PE)

Cidades alegaram efetivo policial insuficiente para cobrir a área das duas regiões, marcadas por disputas políticas Segundo a solicitação, em Água Preta (PE) a medida se faz necessária porque a cidade vem enfrentando problemas graves de disputa política desde a década de 1990.

O procurador regional Eleitoral em Pernambuco, Wellington Cabral Saraiva, solicitou ao Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE/PE) força policial para os dias anteriores e posteriores aos pleitos eleitorais nos municípios de Gravatá (PE) e Água Preta (PE), marcados para o próximo dia 15 de novembro.

Segundo a solicitação, em Água Preta (PE) a medida se faz necessária porque a cidade vem enfrentando problemas graves de disputa política desde a década de 1990. A Promotoria Eleitoral da 38ª Zona Eleitoral relatou na região da Mata Sul histórico de confrontos no período eleitoral, inclusive conflitos violentos, medo e intimidações, que sempre necessitaram do apoio armado das Polícias Federal, Militar e Civil para serem contidos.

Além disso, enviou documento da Prefeitura de Água Preta relatando investigação da Guarda Civil local que identificou ações de milícia na cidade. Esta teria sido contratada por um candidato a prefeito para intimidar, ameaçar e coagir eleitores, agindo ostensivamente até na tentativa de compra de votos casa a casa.

Veja Mais

>>Eleições: TSE disponibiliza simulador de votação para eleitor

Em Gravatá (PE), o pedido da Promotoria Eleitoral recorda a situação da pandemia da covid-19 e que muitos eleitores locais não têm dado importância à disseminação do novo coronavírus, realizando aglomerações, contratando carros de som e ignorando as recomendações das autoridades municipais. O problema seria amplificado pela grande propagação de notícias falsas, o que elevaria o grau de animosidade entre os candidatos e a população.

Tanto a administração de Água Preta quanto a de Gravatá alegaram não ter efetivo policial suficiente para cobrir suas respectivas áreas. Os ofícios seguiram para o TRE/PE em caráter de urgência, a fim de que avalie a possibilidade de requisitar forças federais para garantir a segurança durante as eleições nas duas cidades.

Acesse aqui aqui as íntegras dos ofícios

Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal

Deixe seu comentário

WP2Social Auto Publish Powered By : XYZScripts.com